^DJI - Dow Jones Industrial Average

DJI - DJI Preço em Tempo Real. Moeda em USD.
24.213,12
+147,53 (+0,61%)
A partir de 11:31AM EST. Mercado aberto.
O gráfico de ações não é compatível com seu navegador atual
Fechamento anterior24.065,60
Abrir24.139,90
Volume103.231.728
Variação do Dia24.119,70 - 24.228,72
Variação de 52 semanas21.712,53 - 26.951,81
Estimativa Volume378.304.032
  • Reutershá 3 horas

    Braskem integra aliança global de empresas para combate à poluição causada por plásticos

    SÃO PAULO (Reuters) - Um grupo de cerca de 30 empresas, incluindo a petroquímica brasileira Braskem, lançou nesta quarta-feira uma iniciativa global de combate à poluição causada por plásticos, prometendo investimentos de 1,5 bilhão de dólares nos próximos cinco anos, em um momento em que consumidores mostram-se mais atentos aos impactos ambientais causados pelo descarte do produto. Além da Braskem, a aliança inclui as gigantes norte-americanas Dow, ExxonMobil e Procter & Gamble, além de grupos europeus, como LyondellBasell, Henkel e Shell, asiáticos e do Oriente Médio. ...

  • Folhapresshá 4 horas

    Indústria do plástico anuncia investimento de US$ 1 bilhão para combater poluição

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Algumas das maiores empresas responsáveis pela fabricação e uso dos plásticos anunciaram, nesta quarta-feira (16), uma aliança para combater a poluição, principalmente nos oceanos. Entre as companhias estão gigantes do setor de química e petroquímica como Braskem, BASF, Dow, LyondellBasell, Shell Chemical, DSM, e grandes grupos de bens de consumo, como a Procter & Gamble.Ao todo, são 30 empresas, que já arrecadaram US$ 1 bilhão para investimentos em ações de combate à poluição. A expectativa é que a associação ganhe adeptos, e que o valor chegue a US$ 1,5 bilhão. ...

  • Trump culpa democratas por turbulência do mercado acionário
    Reutershá 12 dias

    Trump culpa democratas por turbulência do mercado acionário

    WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que reivindica crédito por ganhos no mercado de ações, culpou nesta sexta-feira a vitória da oposição democrata na disputa pelo controle da Câmara dos Deputados pela turbulência nas bolsas em dezembro. Trump também tentou acalmar as preocupações dos investidores, dizendo que os mercados logo vão se acalmar. Temores de uma desaceleração econômica global têm agitado os mercados financeiros globais nos últimos meses, em meio a preocupações sobre a guerra comercial entre EUA e China, tarifas e outras preocupações econômicas. ...

  • Dow Jones ganha mais de mil pontos em forte recuperação de Wall Street
    Reutershá 21 dias

    Dow Jones ganha mais de mil pontos em forte recuperação de Wall Street

    Por Lewis Krauskopf (Reuters) - O índice Dow Jones subiu mais de mil pontos numa única sessão pela primeira vez nesta quarta-feira, liderando uma ampla recuperação de Wall Street, depois que um relatório de que as vendas de fim de ano foram as mais fortes em anos ajudou a acalmar as preocupações sobre a saúde da economia. O Dow Jones subiu 1.086 pontos, ou 4,98 por cento, para 22.878,45. O S&P 500 ganhou 4,96 por cento, a 2.467,7 pontos. O Nasdaq avançou 5,84 por cento, para 6.554,36 pontos. O Dow, o S&P 500 e o Nasdaq tiveram seus maiores ganhos percentuais diários em quase uma década. ...

  • Reutershá 23 dias

    Vendas generalizadas em Wall Street pioram com ação de Mnuchin e drama em DC

    Por Lewis Krauskopf (Reuters) - As fortes vendas generalizadas de ações dos EUA pioraram em uma sessão abreviada antes do feriado nesta segunda-feira, depois da decisão do secretário do Tesouro de reunir um grupo de crise e de outros desenvolvimentos políticos abalarem investidores e levaram o S&P 500 à beira de um mercado baixista. Todos os três principais índices terminaram em baixa de mais de 2 por cento na véspera do Natal. ...

  • Reutershá 27 dias

    Wall Street fecha em queda com planos do Fed

    Por April Joyner NOVA YORK (Reuters) - Os mercados acionários dos Estados Unidos recuaram nesta quinta-feira, com o Nasdaq a um passo de confirmar a entrada em território baixista, com planos do Federal Reserve de continuar a redução de seu balanço e ameaças de uma paralisação parcial do governo dos EUA alimentando a ansiedade de investidores. O índice Dow Jones caiu 1,99 por cento, para 22.859 pontos, o S&P 500 perdeu 1,58 por cento, para 2.467 pontos e o Nasdaq recuou 1,63 por cento, a 6.528 pontos. ...

  • Reutershá 28 dias

    Wall Street recua com investidores preocupados com atualização do Fed sobre juros

    Por April Joyner NOVA YORK (Reuters) - Os índices acionários dos Estados Unidos tiveram forte queda nesta quarta-feira, após a projeção do Federal Reserve de menos aumentos das taxas de juro norte-americanas em 2019 ficar abaixo das expectativas do investidores de uma política monetária mais "dovish". O Dow Jones caiu 1,49 por cento, para 23.323 pontos, o S&P 500 perdeu 1,54 por cento, a 2.506 pontos, e o Nasdaq cedeu 2,17 por cento, para 6.636 pontos. O Dow fechou no menor nível desde novembro de 2017. ...

  • Wall Street cai 1% com peso de ações de saúde; Nasdaq apaga ganhos de 2018
    Reutersmês passado

    Wall Street cai 1% com peso de ações de saúde; Nasdaq apaga ganhos de 2018

    Por Amy Caren Daniel (Reuters) - Wall Street recuava 1 por cento nesta segunda-feira, liderada pela queda nas ações do setor de saúde depois de uma decisão federal de que o Obamacare era inconstitucional, com o declínio do setor líder do mercado intensificando ainda mais as preocupações dos investidores com a desaceleração do crescimento global. Às 13:53 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 0,66 por cento, a 23.942 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 0,818477 por cento, a 2.579 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 0,78 por cento, a 6.856 pontos. ...

  • Reutersmês passado

    Wall Street despenca e índices têm maiores quedas desde março

    Por Lewis Krauskopf (Reuters) - As bolsas de valores dos Estados Unidos afundaram nesta sexta-feira com vendas generalizadas de ações de tecnologia. O índice S&P 500 teve a maior queda semanal desde março, uma vez que receios sobre as tensões comerciais EUA-China e a trajetória dos juros abalaram Wall Street. O Dow Jones caiu 2,24 por cento, para 24.388 pontos, o S&P 500 perdeu ou 2,33 por cento, a 2.633 pontos e o Nasdaq recuou 3,05 por cento, para 6.969 pontos. O S&P 500 praticamente apagou todos os seus ganhos de uma semana atrás, quando teve o maior ganho semanal em sete anos. ...

  • S&P 500 e Dow fecham em queda com preocupações comerciais
    Reutersmês passado

    S&P 500 e Dow fecham em queda com preocupações comerciais

    Por Lewis Krauskopf (Reuters) - O S&P 500 e o Dow Jones fecharam em leve queda, mas bem acima das mínimas de uma sessão volátil nesta quinta-feira, no qual a prisão de uma executiva de tecnologia alimentou temores sobre tensões comerciais entre Estados Unidos e China, enquanto algumas ações de tecnologia e internet tiveram ganhos. O Dow Jones caiu 0,32 por cento, para 24.949 pontos, o S&P 500 perdeu 0,15 por cento, para 2.695 pontos e o Nasdaq avançou 0,42 por cento, para 7.188 pontos. ...

  • Viradas de Trump e Fed embalam ganhos nas bolsas dos EUA
    Bloombergmês passado

    Viradas de Trump e Fed embalam ganhos nas bolsas dos EUA

    (Bloomberg) -- Os protetores das bolsas americanas aparentemente voltaram a agir.

  • Wall St sobe com expectativa sobre comércio; S&P e Nasdaq têm melhor semana em 7 anos
    Reutershá 2 meses

    Wall St sobe com expectativa sobre comércio; S&P e Nasdaq têm melhor semana em 7 anos

    Por Stephen Culp NOVA YORK (Reuters) - Os índices acionários dos Estados Unidos subiram nesta sexta-feira, com investidores esperando que as negociações comerciais progridam no encontro entre os presidentes norte-americano e o chinês no fim de semana. O S&P 500 e o Nasdaq registraram seus maiores ganhos percentuais semanais em quase sete anos. O Dow Jones subiu 0,79 por cento, para 25.538 pontos; o S&P 500 ganhou 0,82 por cento, a 2.760,16 pontos, e o Nasdaq avançou 0,79 por cento, para 7.330 pontos. O S&P e o Nasdaq tiveram a melhor semana desde dezembro de 2011. ...

  • Reutershá 2 meses

    Wall Street sobe com sinais de Powell de que alta de juros pode ser menor

    Por Stephen Culp NOVA YORK(Reuters) - O chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, deu um impulso nos mercados acionários dos EUA nesta quarta-feira ao dizer que a taxa de juros está agora "pouco abaixo" de um nível que não freia nem estimula uma economia saudável, em comentários que muitos avaliaram como sinal de que o ciclo de três anos de alta de juros está chegando ao fim. O Dow Jones subiu 2,5 por cento, para 25.366 pontos, o S&P 500 ganhou 2,3 por cento, para 2.743 pontos e o Nasdaq teve alta de 2,95 por cento, para 7.291 pontos. ...

  • Reutershá 2 meses

    Wall Street reverte perdas após comentários sobre comércio de assessor da Casa Branca

    Por Stephen Culp NOVA YORK (Reuters) - O S&P 500 e o Dow Jones Industrial Average subiram nesta terça-feira depois que o assessor econômico da Casa Branca Larry Kudlow disse que um encontro entre o presidente Donald Trump e seu colega chinês Xi Jinping no sábado é uma oportunidade para "virar a página" na guerra comercial. O Dow Jones Industrial Average subiu 0,44 por cento para 24.748 pontos, o S&P 500 ganhou 0,33 por cento, para 2.682 pontos e o Nasdaq Composite avançou 0,01 por cento, para 7.082 pontos. ...

  • Queda do petróleo arrasta Wall Street para baixo
    Reutershá 2 meses

    Queda do petróleo arrasta Wall Street para baixo

    Por Medha Singh (Reuters) - Os mercados acionários norte-americanos caíam nesta sexta-feira conforme os preços de petróleo atingiam a mínima de mais de um ano e derrubavam as ações de energia, e investidores continuavam nervosos antes das negociações comerciais EUA-China na cúpula do G20 na semana que vem. Às 12:49, o Dow tinha queda de 0,39 por cento, para 24.368 pontos, o S&P 500 caía 0,41 por cento, para 2.639 pontos e o Nasdaq Composite operava estável, a 6.972 pontos. ...

  • Reutershá 2 meses

    Wall Street fecha em queda novamente por pressão de varejistas e ações de energia

    Por Caroline Valetkevitch NOVA YORK (Reuters) - As bolsas norte-americanas recuaram pelo segundo dia consecutivo nesta terça-feira, com as ações de energia acompanhando a queda do petróleo e os papéis de varejistas, como Target e Kohl, recuando após fracas previsões e lucros, alimentando as preocupações com o crescimento econômico. O Dow Jones Industrial Average caiu 2,21 por cento, para 24.465,64 pontos, o S&P 500 recuou 1,82 por cento, para 2.641,89 pontos, enquanto o Nasdaq Composite fechou em queda de 1,7 por cento, para 6.908,82 pontos. ...

  • EFEhá 2 meses

    Dow Jones fecha em baixa de 1,56%

    Nova York, 19 nov (EFE).- O índice Dow Jones Industrial fechou nesta segunda-feira em baixa de 1,56%, em grande parte devido a quedas nas ações de gigantes do setor tecnológico. O principal indicador da Bolsa de Nova York perdeu 395,78 pontos e f

  • Reutershá 2 meses

    S&P e Dow avançam com otimismo sobre comércio; Nvidia afunda Nasdaq

    Por April Joyner NOVA YORK (Reuters) - O S&P 500 e o Dow Jones subiram nesta sexta-feira após o presidente Donald Trump disse que os Estados Unidos podem não ter que impor tarifas adicionais sobre produtos chineses, mas quedas nas ações de Nvidia, Amazon.com e Facebook fizeram o Nasdaq a recuar. O Dow Jones subiu 0,49 por cento, a 25.413,22 pontos, o S&P 500 ganhou 0,22 por cento, para 2.736,14 pontos, e o Nasdaq caiu 0,15 por cento, para 7.247,87 pontos. Todos os três índices recuaram no início da sessão, após previsão decepcionante da Nvidia sobre o setor de tecnologia. ...

  • InfoMoneyhá 2 meses

    Índice de ações brasileiras sobe 2,33% com bom humor em Wall Street e indicação ao Banco Central

    A equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro indicou o diretor do Santander, Roberto Campos Neto, para presidir o Banco Central  

  • InfoMoneyhá 2 meses

    Índice de ações brasileiras ignora perdas em Wall Street e sobe 1%

    SÃO PAULO - Em dia de B3 fechada devido ao feriado nacional de Proclamação da República, os ADRs (American Depositary Receipts) das empresas brasileiras negociadas em Nova York ignoram o mau humor em Wall ...

  • InfoMoneyhá 2 meses

    Índice de ações brasileiras sobe 2% após indicações a BC e alívio em Wall Street

    A equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou a indicação do diretor do Santander, Roberto Campos Neto, foi indicado para presidir o Banco Central  

  • InfoMoneyhá 2 meses

    Índice de ações brasileiras segue Wall Street e sobe 2% após indicação ao Banco Central

    A equipe de transição do presidente eleito Jair Bolsonaro indicou o diretor do Santander, Roberto Campos Neto, para presidir o Banco Central  

  • Reutershá 2 meses

    S&P e Dow perdem terreno, queda do petróleo pune ações de energia

    Por Stephen Culp NOVA YORK (Reuters) - O Dow e o S&P 500 fecharam em leve queda nesta terça-feira, com perdas nas ações de energia e da Boeing compensando o pequeno ganho das ações de tecnologia e esperanças renovadas de progresso em negociações comerciais. O Dow Jones Industrial Average caiu 0,4 por cento, para 25.286,49 pontos, o S&P 500 perdeu 0,15 por cento, para 2.722,18 pontos e o Nasdaq Composite fechou estável a 7.200,88. O S&P 500 registrou o menor nível de fechamento desde 31 de outubro. ...

  • Reutershá 2 meses

    Wall St recua com queda da Apple e menor otimismo comercial

    Por Caroline Valetkevitch SÃO PAULO (Reuters) - Os mercados acionários dos Estados Unidos interromperam um rali de três dias nesta sexta-feira, com a queda das ações da Apple após previsões desapontadoras e a Casa Branca reduzindo otimismo sobre as negociações EUA-China. O índice Dow Jones caiu 0,43 por cento, a 25.271 pontos, enquanto o S&P 500 perdeu 0,631667 por cento, a 2.723 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 1,04 por cento, a 7.357 pontos. ...

  • Reutershá 2 meses

    DowDuPont supera estimativas para lucro, impulsionado por demanda de químicos

    Por Laharee Chatterjee (Reuters) - A DowDuPont superou as estimativas de Wall Street para lucro do terceiro trimestre, conforme reportado nesta quinta-feira, com a demanda mais forte por químicos usados em cosméticos, tintas e equipamentos de embalagens ajudando a compensar o crescimento lento do negócio agrícola da companhia. A maior produtora de químicos do mundo, formada pela fusão no ano passado de 130 bilhões de dólares da Dow Chemical e da DuPont, também anunciou que vai recomprar 3 bilhões de dólares em ações nos próximos cinco meses. ...