Mercado fechado

Pitch fora do Brasil exige menos charme e mais números , diz CEO da Dream2B

Abrir um pitch com uma boa história sobre a origem e o propósito do negócio é uma estratégia recorrente de empreendedores brasileiros, mas Regina Noppe, CEO e co-fundadora da Dream2B, explica que, fora do país, apresentar os números do negócio com objetividade, geralmente, é mais convincente. “Nós sabemos como o brasileiro é charmoso e tem uma boa lábia, mas, lá fora, você precisa saber muito bem os seus números e chegar de forma direta”, afirma Regina. Além disso, ela recomenda simplicidade na linguagem e clareza na comunicação do objetivo do pitch.