Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.750,22
    +1.458,62 (+1,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.646,03
    -288,18 (-0,66%)
     
  • PETROLEO CRU

    46,09
    +0,45 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.842,00
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    19.035,21
    -13,08 (-0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    365,19
    -14,05 (-3,71%)
     
  • S&P500

    3.699,12
    +32,40 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.218,26
    +248,74 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.550,23
    +59,96 (+0,92%)
     
  • HANG SENG

    26.835,92
    +107,42 (+0,40%)
     
  • NIKKEI

    26.751,24
    -58,13 (-0,22%)
     
  • NASDAQ

    12.509,25
    +47,00 (+0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2497
    +0,0137 (+0,22%)
     

Periferias de SP têm até 16 vezes mais estudantes em escolas públicas do que bairros ricos; número pode aumentar após pandemia

As regiões periféricas da cidade de São Paulo têm mais alunos matriculados no Ensino Básico da rede pública em comparação aos bairros nobres do município. De acordo com dados do Mapa da Desigualdade 2020, divulgado nesta quinta-feira (29), o índice de matrículas em escolas públicas nessas localidades chega a ser 16 vezes maior.