Mercado fechará em 31 mins
  • BOVESPA

    109.719,39
    +2.340,47 (+2,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.804,08
    +536,88 (+1,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,98
    +1,92 (+4,46%)
     
  • OURO

    1.804,50
    -33,30 (-1,81%)
     
  • BTC-USD

    19.125,34
    +673,37 (+3,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,33
    +9,58 (+2,59%)
     
  • S&P500

    3.630,14
    +52,55 (+1,47%)
     
  • DOW JONES

    30.030,25
    +438,98 (+1,48%)
     
  • FTSE

    6.432,17
    +98,33 (+1,55%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    12.050,25
    +145,00 (+1,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3877
    -0,0526 (-0,82%)
     

Os 5 segmentos de clubes de assinatura que mais lucraram em 2020

Os clubes de assinatura podem ser uma forma de construir uma relação duradoura com o consumidor.

Seu faturamento cresceu 10% até setembro deste ano, comparado com o mesmo período de 2019, de acordo com levantamento da Betalabs, especialista em tecnologia para gestão de comércio eletrônico.

Até o fim deste ano, a alta deve ser de 12%. O setor contava com 300 empresas em 2015. Atualmente, são quase 4 mil, sendo que só durante a pandemia 800 novos clubes de assinatura foram abertos no Brasil.

Por dia, cerca de 600 novos consumidores assinam o serviço e só em 2019, esse mercado movimentou cerca de R$ 1 bilhão.