Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.133,83
    +1.255,91 (+2,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Os 5 segmentos de clubes de assinatura que mais lucraram em 2020

Os clubes de assinatura podem ser uma forma de construir uma relação duradoura com o consumidor.

Seu faturamento cresceu 10% até setembro deste ano, comparado com o mesmo período de 2019, de acordo com levantamento da Betalabs, especialista em tecnologia para gestão de comércio eletrônico.

Até o fim deste ano, a alta deve ser de 12%. O setor contava com 300 empresas em 2015. Atualmente, são quase 4 mil, sendo que só durante a pandemia 800 novos clubes de assinatura foram abertos no Brasil.

Por dia, cerca de 600 novos consumidores assinam o serviço e só em 2019, esse mercado movimentou cerca de R$ 1 bilhão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos