ENGI11.SA - Energisa S.A.

Sao Paolo - Sao Paolo Preço Adiado. Moeda em BRL.
47,52
-0,68 (-1,41%)
No fechamento: 7:07PM BRST
O gráfico de ações não é compatível com seu navegador atual
Fechamento anterior48,20
Abrir48,14
Preço de Compra47,52 x 0
Preço de Venda47,76 x 0
Variação do Dia47,47 - 48,39
Variação de 52 semanas47,34 - 49,04
Volume593.400
Estimativa Volume620.225
Capitalização de Mercado11,411B
Beta (3A, mensalmente)1,45
Índice P/L (últ. 12 mes.)108,99
LPA (últ. 12 mes.)0,44
Data da Receita8 de nov de 2019
Dividendo futuro e rendimento0,43 (0,91%)
Data do Ex-Dividendo2019-08-14
Meta estimada de 1 ano39,78
  • Energisa anuncia aquisição da Alsol e entra em geração distribuída de energia
    Reuters

    Energisa anuncia aquisição da Alsol e entra em geração distribuída de energia

    (Reuters) - A elétrica Energisa anunciou a aquisição de 87 por cento do capital da empresa de geração distribuída Alsol Energias Renováveis, da Algar, após acordo com a empresa e seu fundador no valor de 11,7 milhões de reais, segundo comunicado nesta sexta-feira. Embora não envolva um valor significativo para uma companhia do porte da Energisa, que controla 11 distribuidoras de eletricidade e teve receitas de 15,7 bilhões de reais em 2018, o negócio marca a entrada da empresa no setor de geração distribuída, que tem crescido em ritmo acelerado no Brasil. ...

  • Agência Brasil

    Aneel autoriza aumento nas contas de luz para MT, MS e interior de SP

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou hoje (2) o reajuste nas contas de luz para os consumidores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e do interior de São Paulo. As novas tarifas entrarão em vigor na próxima segunda-feira (8).Os consumidores atendidos pela Energisa Mato Grosso terão um reajuste tarifário médio de 11,29%, com impacto de 10,12% para os consumidores residenciais. A distribuidora fornece energia para 1,4 milhão de unidades consumidoras localizadas no estado do Mato Grosso. A Aneel disse que, ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço. O cálculo leva em conta a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais. "O reajuste da Energisa Mato Grosso foi impactado pelo aumento dos custos de aquisição de energia, como por exemplo, da Usina Hidrelétrica de Itaipu que é precificada em dólar", disse a agência.Para os consumidores da Energisa Mato Grosso do Sul foi autorizado um aumento médio de tarifas de 12,39%. O efeito médio para os consumidores residenciais será de 11,47%. A concessionária atende 1,022 milhão de unidades consumidoras localizadas em 74 municípios do Estado do Mato Grosso do Sul. De acordo com a Aneel, também pesou no reajuste da concessionária o custo com aquisição de energia de Itaipu.A agência autorizou ainda a aplicação do reajuste tarifário da CPFL Paulista, empresa que atende 4,4 milhões de unidades consumidoras localizadas em 234 municípios do estado de São Paulo. O efeito médio será de 8,66% e de 7,87% para os consumidores residenciais.

  • Cemig tenta evitar fiscalização da Aneel sobre indicadores de distribuição de energia
    Reuters

    Cemig tenta evitar fiscalização da Aneel sobre indicadores de distribuição de energia

    Por Luciano Costa SÃO PAULO (Reuters) - A mineira Cemig entrou com pedido de medida cautelar junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tentar evitar uma fiscalização do regulador sobre os indicadores de continuidade do serviço de sua unidade de distribuição Cemig-D em 2018, segundo documento visto pela Reuters. ...

  • Agência Brasil

    Aneel: distribuidoras terão que pagar mais de R$ 7 milhões por apagão

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) negou hoje (26) pedido de 11 distribuidoras de energia de exclusão de penalidade pelo apagão ocorrido em março do ano passado. As distribuidoras pediram à agência a exclusão, de seus indicadores de continuidade, da interrupção no fornecimento de energia decorrente do blecaute que causou a queda de energia em 13 estados das regiões Norte e Nordeste e afetou estados do Sul e Sudeste. Com isso, as distribuidoras terão que fazer pagamentos de compensações superiores a R$ 7 milhões como compensação aos consumidores.A penalidade foi aplicada às distribuidoras: Celpa (PA), Celpe (PE), Cemar (MA), Coelba (BA), Cosern (RN), Enel Ceará, Energisa Borborema (PB), Energisa Paraíba, Energisa Sergipe, Energisa Tocantins e Sulgipe (SE).Ocorrido no dia 21 de março, o apagão foi ocasionado por problemas em uma linha de transmissão da empresa Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE), que transporta energia da hidrelétrica para a Região Sudeste. O blecaute deixou cerca de 70 milhões de pessoas sem luz. Na ocasião, o Operador Nacional do Sistema (ONS) recomendou a aplicação de multa de 10% na Receita Anual Permitida por descumprimento de algumas exigências previstas em contrato.No início do mês, a Aneel já havia aplicado multa à BMTE e ao ONS de R$ 11 milhões relativas ao apagão. De acordo com a área técnica da Aneel, no caso da BMTE, foi apurada "falha no processo de manutenção", além de "responsabilidade no desligamento em função de desempenho inadequado de sistema de proteção", com multa proposta de R$ 6,184 milhões. Quanto ao ONS, a Aneel diz que o órgão "deixou de observar procedimentos de rede" e que houve "responsabilidade no desligamento em função de desempenho inadequado de sistema de proteção", com multa indicada de R$ 4,912 milhões.

  • ANÁLISE-Grandes elétricas miram ativos de Cemig e CEEE enquanto sonham com privatizações
    Reuters

    ANÁLISE-Grandes elétricas miram ativos de Cemig e CEEE enquanto sonham com privatizações

    Por Luciano Costa SÃO PAULO (Reuters) - Gigantes globais têm apresentado forte apetite por ativos das elétricas estaduais Cemig e CEEE, com expectativas de que as combalidas finanças de Minas Gerais e Rio Grande do Sul levem seus governadores a seguir processos de desinvestimentos já ensaiados pelas empresas. ...

  • Lucro da BR dispara com ajuda da Eletrobras; vendas caem 5,6% no 4º tri
    Reuters

    Lucro da BR dispara com ajuda da Eletrobras; vendas caem 5,6% no 4º tri

    RIO DE JANEIRO (Reuters) - A BR Distribuidora, empresa de combustíveis controlada pela Petrobras, teve alta de 202,3 por cento no lucro líquido do quarto trimestre na comparação com igual período do ano anterior, ajudada pela privatização de distribuidoras de energia da Eletrobras e pela quitação de débitos da elétrica. ...

  • Folhapress

    BR Distribuidora fecha 2018 com lucro de R$ 3,2 bilhões

    RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Em seu primeiro balanço anual após voltar a ter ações em bolsa, a subsidiária da Petrobras BR Distribuidora apresentou lucro de R$ 3,2 bilhões, alta de 177,4% em relação a 2017. A direção da empresa propõe a distribuição de 96% desse resultado aos acionistas. Maior distribuidora de combustíveis do Brasil, a BR teve ações lançadas em bolsa em dezembro de 2017. Na operação, a Petrobras vendeu por R$ 5 bilhões uma parcela de 28,75% do capital da companhia. Os papéis foram comprados por investidores privados pelo valor mínimo. Em 2018, a companhia já havia distribuído outros R$ 1,1 bilhão de dividendos, o equivalente a 95% do lucro líquido de 2017. Agora, vai propor aos acionistas a distribuição de R$ 3 bilhões -dos quais R$ 563 milhões já haviam sido aprovados em novembro. "Foi um ano de muitas conquistas e muitos desafios para a companhia. Mesmo em meio a discussões regulatórias e um mercado retraído -com performance abaixo de 2017 agravada pela greve dos caminhoneiros- a companhia atingiu bons resultados", disse a BR, no balanço divulgado nesta terça (26). Caso a proposta seja aprovada em assembleia, a Petrobras ficará com R$ 2,16 bilhões e os sócios privados, com R$ 870 milhões.  Entre a reestreia na bolsa, no dia 15 de dezembro de 2017 e esta segunda (25), o valor das ações da companhia subiu 63,5%, quase o dobro do Ibovespa, o principal índice do pregão paulista, que subiu 34% no período. Em 2018, o volume de vendas da distribuidora caiu 3,8%, para 41,5 bilhões de litros. A receita subiu 15,6%, para R$ R$ 97,7 bilhões, acompanhando a alta dos preços dos combustíveis durante o ano. O resultado da companhia contou com reforço ainda do reconhecimento de dívidas pelo Sistema Eletrobras. Em abril, as duas empresas assinaram acordo para o pagamento de em 36 parcelas de R$ 4,6 bilhões referentes a calotes na compra de combustível para térmicas por empresas de distribuição de energia na região Norte. As distribuidoras foram privatizadas durante o ano passado. Segundo a BR, até o momento nove parcelas da dívida foram pagas, além de duas antecipações de distribuidoras de foram compradas pelo grupo Energisa, no valor de R$ 1,8 bilhão.  A BR já havia sido uma companhia de capital aberto, mas teve as ações recompradas pela Petrobras em 2000. Em 2016, a venda de ações entrou nos planos da administração Pedro Parente, como parte do plano de venda de ativos da estatal.  Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro, o atual presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, já admitiu não descartar a venda da participação remanescente na distribuidora, alegando que se trata de um negócio de varejo, que não estaria no foco das atuações da estatal.

  • Reuters

    Energisa registra aumento de 3,4% no consumo de energia no 4º tri

    SÃO PAULO (Reuters) - O consumo de energia elétrica nos mercados cativo e livre nas áreas de concessão das distribuidoras do Grupo Energisa atingiu 9.021 GWh no quarto trimestre de 2018, o que representa aumento de 3,4 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo boletim da empresa divulgado nesta quinta-feira. Considerando o fornecimento não faturado, o volume se situa em 9.184,9 GWh, avanço de 4,1 por cento na mesma base de comparação, acrescentou a Energisa. ...

  • Justiça suspende reajuste tarifário de distribuidora da Energisa no Acre
    Reuters

    Justiça suspende reajuste tarifário de distribuidora da Energisa no Acre

    SÃO PAULO (Reuters) - Uma decisão judicial suspendeu o reajuste das tarifas da Eletroacre, distribuidora de energia que atua no Acre e é controlada pelo grupo Energisa, disse a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em comunicado nesta terça-feira. A notícia vem pouco após decisões semelhantes no final de dezembro, que suspenderam a elevação das tarifas de eletricidade em Rondônia e no Amapá, onde as operações são controladas pela própria Energisa e pela empresa estadual CEA, respectivamente. ...

  • Energisa fecha acordo de investimento com Itaú Unibanco
    Reuters

    Energisa fecha acordo de investimento com Itaú Unibanco

    SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho de Administração da Energisa aprovou um acordo de investimento com o Itaú Unibanco, regulando os termos e condições gerais para o ingresso do banco como acionista minoritário no quadro acionário de sociedade controlada pela companhia, denominada Energisa Participações, informou a elétrica em fato relevante nesta sexta-feira. "Tendo em vista o interesse da companhia em capitalizar a Energisa Participações e aprimorar a estrutura societária do grupo, as partes realizaram... ...

  • Justiça suspende reajustes da tarifa de energia em Amapá e Rondônia, diz Aneel
    Reuters

    Justiça suspende reajustes da tarifa de energia em Amapá e Rondônia, diz Aneel

    SÃO PAULO (Reuters) - Decisões judiciais em caráter liminar suspenderam os reajustes de tarifas de energia aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para os Estados do Amapá e de Rondônia, informou o órgão regulador em comunicado na noite de quinta-feira. A agência havia homologado no início de dezembro uma elevação de em média 25,34 por cento nas tarifas da Ceron, de Rondônia, controlada pela Energisa. No Amapá, o reajuste autorizado havia sido de em média 4,6 por cento nas tarifas da CEA, empresa do governo estadual. ...

  • Leilão de transmissão atrai R$13,2 bi e tem fortes deságios; Neoenergia domina
    Reuters

    Leilão de transmissão atrai R$13,2 bi e tem fortes deságios; Neoenergia domina

    Por Luciano Costa SÃO PAULO (Reuters) - O leilão de concessões para novos projetos de transmissão de energia realizado pelo governo federal nesta quinta-feira deve viabilizar investimentos de 13,2 bilhões de reais nos próximos cinco anos, um recorde nas licitações do setor, após ter sucesso em atrair diversos interessados para todos os 16 lotes de empreendimentos ofertados. As concessões foram arrematadas em meio a uma intensa concorrência, que envolveu principalmente gigantes estrangeiras que já atuam com energia no Brasil. ...

  • Neoenergia lidera leilão de transmissão marcado por fortes disputas
    Reuters

    Neoenergia lidera leilão de transmissão marcado por fortes disputas

    SÃO PAULO (Reuters) - O leilão de projetos de transmissão de energia realizado pelo governo federal nesta quinta-feira começou com destaque para a atuação da Neoenergia, controlada pelo grupo espanhol Iberdrola, que aparecia isolada à frente na disputa por volta do meio-dia, quando houve pausa para almoço. ...

  • Folhapress

    Leilão de transmissão atrai forte disputa e deve gerar R$ 13,2 bi de investimentos

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O leilão de linhas de transmissão de energia promovido pelo governo nesta quarta-feira (20) deverá gerar um investimento recorde para um certame do gênero: R$ 13,2 bilhões.Serão leiloados 16 lotes, com 7.152 quilômetros de linhas e subestações em 13 estados do país. Até agora, metade deles já foram leiloados --uma pausa para almoço interrompeu o certame, que será retomado à tarde. Tal como nos últimos leilões de transmissão, a disputa está forte, e os descontos oferecidos pelas empresas, altos. ...

  • Leilão de distribuidora da Eletrobras fica para dia 28; estatal vê interessados
    Reuters

    Leilão de distribuidora da Eletrobras fica para dia 28; estatal vê interessados

    Por Rodrigo Viga Gaier e Luciano Costa RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O leilão de privatização da distribuidora de energia da Eletrobras no Alagoas, a Ceal, foi adiado para 28 de dezembro, em meio a pedidos de investidores por mais informações sobre o ativo antes da licitação, antes agendada para dia 19, disse à Reuters nesta segunda-feira o presidente da estatal. Se tiver sucesso, o certame marcará a saída completa da Eletrobras do segmento de distribuição de eletricidade, no qual a companhia já conseguiu vender cinco subsidiárias que acumularam prejuízos bilionários nas últimas ...

  • Reuters

    ANÁLISE-Compradores "novatos" e liminar acendem alertas após venda da Eletrobras Amazonas

    Por Luciano Costa SÃO PAULO (Reuters) - A privatização da deficitária distribuidora de energia da Eletrobras no Amazonas exigirá atenção especial do governo e de reguladores devido à falta de experiência no setor por parte dos compradores, dois grupos familiares, um dos quais em disputa judicial com a União sobre impostos, alertaram especialistas ouvidos pela Reuters. ...

  • Agência Brasil

    Aneel aprova reajuste nas contas de luz do AC, RO e AP

    A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (11) o primeiro reajuste tarifário das empresas Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre) e Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) após a privatização das distribuidoras, subsidiárias da Eletrobras. As duas empresas foram vendidas para o grupo Energisa, em leilão realizado no final de agosto. Os novos valores passam a valer a partir da próxima quinta-feira (13). 

  • Agência Brasil

    Amazonas Energia é arrematada em leilão

    Após sucessivos adiamentos, o governo conseguiu fazer hoje (10) o leilão de venda da distribuidora da Eletrobras, Amazonas Energia. A empresa foi arrematada pelo consórcio formado pela Oliveira Energia, empresa que opera nos Sistemas Isolados na Região Norte, e a distribuidora de petróleo Atem. O leilão foi realizado na sede da B3, antiga BM&FBovespa, em São Paulo. A Amazonas Energia atende a quase 900 mil consumidores em 62 municípios do estado.

  • Reuters

    Energisa assume distribuidora da Eletrobras no Acre e prevê investir R$228 mi em 2019

    SÃO PAULO (Reuters) - A Energisa assume a partir desta sexta-feira a responsabilidade pela operação da Eletroacre, distribuidora de eletricidade no Acre que antes pertencia à Eletrobras, na qual pretende investir 228 milhões de reais em 2019, afirmou a companhia nesta sexta-feira. O aporte previsto pela Energisa, que venceu leilão de privatização da estatal em agosto, representa mais de quatro vezes o que foi investido pela Eletroacre em 2017 e três vezes os valores desembolsados pela empresa em 2016, segundo o grupo, que agora passa a operar 11 distribuidoras no país. ...

  • Justiça torna sem efeito assembleia da Eletrobras que decidiu vender distribuidoras
    Reuters

    Justiça torna sem efeito assembleia da Eletrobras que decidiu vender distribuidoras

    SÃO PAULO (Reuters) - A 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro decidiu tornar sem efeito a 170ª assembleia geral extraordinária da Eletrobras, ocorrida em fevereiro deste ano, que decidiu pela venda das distribuidoras de energia elétrica da estatal. Conforme decisão da juíza Raquel de Oliveira Maciel, as partes devem se abster de dar prosseguimento ao processo de privatização ou liquidação das distribuidoras e apresentar estudo sobre o impacto da privatização nos contratos de trabalho e nos direitos adquiridos por seus empregados, sob pena de pagamento de 1 milhão de reais. ...