Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,01
    +0,57 (+0,69%)
     
  • OURO

    1.769,40
    +3,70 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    63.816,66
    +2.228,02 (+3,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,22
    +17,87 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.410,75
    +120,25 (+0,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4959
    +0,1044 (+1,63%)
     

Zuckerberg rebate ex-funcionária: ‘Acusações não são verdadeiras’

·2 minuto de leitura
O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, abordou uma série recente de histórias negativas sobre a empresa pela primeira vez, dizendo que as acusações de que ela coloca lucro sobre a segurança do usuário "simplesmente não são verdadeiras". REUTERS/Jonathan Ernst
  • CEO da companhia respondeu antiga funcionária sobre colocar lucro diante de usuários

  • Frances Haugen participou de audiência no Senado na última semana

  • "Havia conflitos de interesse entre o que era bom para o público ou para o Facebook”

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, abordou uma série recente de histórias negativas sobre a empresa pela primeira vez, dizendo que as acusações de que ela coloca lucro sobre a segurança do usuário "simplesmente não são verdadeiras".

Leia também:

É difícil ver uma cobertura que deturpe nosso trabalho e nossos motivos. No nível mais básico, acho que a maioria de nós não reconhece a falsa imagem da empresa que está sendo pintada ", escreveu ele em uma nota aos funcionários na terça-feira (5) que também postou publicamente.

Ela veio logo após a denunciante Frances Haugen, uma ex-funcionária, testemunhar em uma audiência no Senado sobre sua experiência lá, e uma pesquisa interna que ela disse ter mostrado que a empresa priorizou o lucro enquanto alimentava a divisão. Haugen apareceu no programa “60 Minutes” no domingo à noite, dizendo que o Facebook rotineiramente toma decisões que colocam os interesses comerciais acima da segurança do usuário.

“Havia conflitos de interesse entre o que era bom para o público e o que era bom para o Facebook”, disse ela. “O Facebook repetidamente escolheu otimizar seus interesses, como ganhar mais dinheiro.”

Zuckerberg escreveu que ficou incomodado com a narrativa de que o Facebook não está preocupado com a segurança das crianças. Duas audiências no Senado na semana passada se concentraram no impacto do Facebook sobre os adolescentes e crianças pequenas, incluindo o testemunho de Haugen.

Pesquisa interna do Facebook foi publicada no Wall Street Journal

O Wall Street Journal publicou uma pesquisa interna do Facebook no mês passado, fornecida por Haugen, que mostrou que o Instagram piorou alguns problemas de saúde mental para adolescentes que usam o produto. A empresa, que estava construindo uma versão do Instagram para crianças, suspendeu o projeto.

“Quando se trata da saúde ou do bem-estar dos jovens, todas as experiências negativas são importantes”, escreveu o CEO. “Trabalhamos durante anos em esforços líderes do setor para ajudar as pessoas nesses momentos, e estou orgulhoso do trabalho que fizemos.”

Zuckerberg disse que o Facebook não se beneficia de conteúdo que deixa as pessoas irritadas ou deprimidas ou toma todas as decisões sobre o produto para maximizar as interações do usuário. Quando mudou seu algoritmo de feed de notícias para mostrar mais postagens de amigos e familiares alguns anos atrás, acrescentou o CEO, a empresa fez isso sabendo que as pessoas gastariam menos tempo no serviço. Zuckerberg encerrou a nota incentivando a força de trabalho do Facebook e expressando sua gratidão por seu trabalho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos