Mercado fechado

Zuckerberg diz estar tranquilo com prejuízo bilionário em divisão de metaverso

Meta quer ser uma das empresas pioneiras no metaverso a qualquer custo (Samantha Burkardt/Getty Images for SXSW)
Meta quer ser uma das empresas pioneiras no metaverso a qualquer custo (Samantha Burkardt/Getty Images for SXSW)
  • Divisão Reality Labs está em seu sétimo trimestre no negativo;

  • Resultados fracos refletem mais a economia como um todo, afirma Zuckerberg;

  • Empresa quer ser uma das pioneiras no metaverso.

Durante a teleconferência com acionistas sobre os resultados do segundo trimestre, Mark Zuckerberg afirmou estar tranquilo com os prejuízos gerados pela divisão de realidade virtual (VR) e metaverso da Meta, empresa da qual é diretor-executivo.

Segundo o CEO, a tecnologia é uma grande oportunidade, e ele pretende continuar investindo nela por vários anos até que seus produtos estejam desenvolvidos o suficiente para atuarem nesse mercado de "centenas de bilhões de dólares".

“O metaverso é uma grande oportunidade por vários motivos. Sinto ainda mais fortemente agora que o desenvolvimento dessas plataformas desbloqueará centenas de bilhões de dólares, se não, trilhões ao longo do tempo", disse Zuckerberg.

A Reality Labs, divisão da Meta responsável por esse mercado, registrou seu sétimo trimestre consecutivo no negativo. Para Mark, no entanto, esses resultados não são preocupantes: “Estou confiante de que ficaremos felizes por termos desempenhado um papel importante na construção disso”, afirmou.

O setor é responsável pela criação de aplicativos e aparelhos de realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR), como a linha Oculus de headsets e o metaverso Horizon Worlds.

O prejuízo deste último trimestre foi, contudo, o maior já registrado até então, com uma receita de apenas US$ 11,1 bilhões e uma margem de 29%. Esses resultados, na opinião de Zuckerberg, refletem mais a situação econômica do mundo e dos Estados Unidos, do que o setor de tecnologia virtual como um todo.

“Parece que entramos em uma crise econômica que terá um amplo impacto no negócio de publicidade digital. Nesse ambiente, estamos focados em fazer um investimento de longo prazo que nos posicione para sairmos mais fortes.”