Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.291,59
    +413,06 (+0,37%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.934,21
    +259,38 (+0,59%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,64
    +0,36 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.844,80
    +14,60 (+0,79%)
     
  • BTC-USD

    19.445,68
    +496,78 (+2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    382,20
    +7,79 (+2,08%)
     
  • S&P500

    3.666,72
    -2,29 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    29.969,52
    +85,73 (+0,29%)
     
  • FTSE

    6.490,27
    +26,88 (+0,42%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.488,25
    +34,00 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2357
    -0,0841 (-1,33%)
     

Zonta leva Shell pela primeira vez à decisão do título da Stock Car na Grande Final

·6 minuto de leitura

O paranaense Ricardo Zonta pontuou nas duas provas deste domingo em Goiânia, com um sexto e um décimo lugares, e, com os resultados acumulados, leva a Shell pela primeira vez à decisão da Stock Car com chance de título.

A Grande Final será disputada dia 13 de dezembro, em Interlagos, onde Zonta venceu por duas vezes a Corrida do Milhão, em 2013 e 2020, além de ter ganho a prova final de 2018. Zonta ocupa o quarto lugar na classificação geral e, já contando os descartes estipulados por regulamento, está a 14 pontos do líder da tabela, com 60 em jogo na prova final.

Leia também:

Stock Car: Khodair sai de 24º, aproveita pane seca de Barrichello no final e vence corrida 2 em Goiânia Stock Car: Gui Salas vence corrida 1 do domingo em Goiânia Stock Car: Khodair é pole em Goiânia para a 11ª etapa da temporada 2020

Já Gaetano di Mauro completou a primeira corrida do dia em sétimo lugar, enquanto Átila Abreu, prejudicado por acidentes nas duas corridas, ainda foi o 16º na segunda prova. Galid Osman foi envolvido num contato na primeira corrida e não largou para a segunda.

Sob forte calor, os pilotos partiram para a rodada dupla e, na primeira corrida, os quatro pilotos de Shell passaram limpos pela largada, com Gaetano em nono, Átila e Galid juntos, em 12º e 13º, e Zonta em 17º. Em seguida, os quatro ganharam duas posições com um toque entre dois concorrentes.

Na abertura da oitava volta, Átila atacou Ricardo Maurício no retão, foi obrigado a ir para a grama e, com isso, perdeu o controle do carro; Galid, que vinha próximo, acabou atingido pelo carro #51. Os dois abandonaram a prova ali mesmo.

Aos poucos, Di Mauro e Zonta escalaram o pelotão com um bom ritmo e uma excelente estratégia de pit stops. No fim, o paranaense marcou pontos importantes para o campeonato com a sexta posição, logo à frente de Gaetano.

No intervalo entre as provas, saiu o resultado do Fan Push, e Zonta e Átila foram contemplados com o disparo extra do botão de ultrapassagem na segunda corrida. Já Galid não teve condições de largar para a prova devido a danos no carro.

Na largada da segunda prova, Zonta partiu muito bem de quinto e quase assumiu o terceiro lugar, mas ficou mesmo em quarto, com Gaetano em sétimo e Átila em 16º. Faltando 24 minutos para o fim, Di Mauro abandonou, e Átila foi tocado por um concorrente.

Zonta foi para o pit stop em quinto lugar e, quando todos fizeram a parada, o paranaense ficou em décimo, já que vários pilotos tinham reabastecido antes e fizeram operações mais rápidas. Mesmo com o forte calor e o desgaste da rodada dupla, o paranaense manteve a posição até a chegada e confirmou a Shell na disputa pelo título daqui a três semanas em Interlagos.

Zonta classificou o dia em Goiânia como positivo, apesar de ter ficado em um pódio e já projeta a disputa em Interlagos.

"Foi um dia positivo, é claro que esperávamos um pódio no fim de semana. A corrida foi bastante difícil, senti muito o desgaste de pneu, estava difícil atacar. Fiquei mais na defesa do que no ataque”.

“Estou muito feliz de chegar a Interlagos na final disputando o título. Acredito que a equipe fará o melhor possível depois da batida que tive ontem para melhorar ainda mais o carro. Vencemos lá na Corrida do Milhão, então a expectativa é grande. Nosso carro sem peso melhorou bastante, mas os concorrentes também melhoraram durante o ano”.

“Esse pack que tem na outra marca ajuda muito, no fim de semana eles ganharam as corridas de Goiânia, e isso favorece a velocidade de reta, não a final mas de saída da curva. Então, eles precisam tentar equalizar para todos terem chance em Interlagos."

Di Mauro vê o final de semana como uma evolução em comparação com a etapa anterior, em um processo de consolidação dentro de sua nova equipe.

"Com certeza um bom fim de semana, mostramos velocidade, mostramos competência, sempre na frente, e isso é importante. Consolidar isso é bom para todo o time, aparecendo e disputando com as equipes mais acostumadas com isso. É entender o que precisa melhorar e cada vez apertar mais. É uma grande evolução da última vez, e vamos para cima."

Átila saiu do domingo chateado pelos incidentes e pedindo desculpas a Galid pelo toque na corrida 1.

"Hoje o dia no início começou bem, numa disputa com um ritmo interessante, mais competitivo do que ontem, uma briga intensa para quem ficaria entre os dez primeiros e se beneficiar do grid invertido na segunda corrida. Quando eu venho com o push, e o Ricardo Maurício, não, ele está no meio da pista, um pouquinho mais para dentro, mas deixa um espaço interno”.

“Quando estou passando ele, já próximo da freada, resolve me fechar fazendo o movimento, mas estou 20 km/h mais rápido. Isso me joga para a grama, para não bater, e, quando freio na grama, o carro fica balançando todo e perco o controle, acabo tirando o Galid. Fiquei muito chateado, primeiro por abandonar a corrida, e segundo por tirar um companheiro de equipe”.

“Não cai na minha cabeça uma manobra dessas, peço desculpas ao Galid, ele sabe que não foi intenção minha, e o próprio Ricardo Maurício veio pedir desculpas entre uma corrida e outra, mas o lance já tinha acontecido. É preciso pedir desculpas para a equipe, que trabalhou a noite toda. Acabar dessa forma é frustrante”.

“Para a corrida 2, meu carro tinha entortado um pouco, tentamos compensar de alguma maneira. Já com o ritmo bom, brigando por algumas posições, o Bruno Baptista vem de fora para dentro na saída da chicane cruzando a pista e bate no meu carro, acabo rodando. Caí para último, vim recuperando, dava para ter ficado entre os cinco, mas quando você roda no começo, fica difícil. Vamos tentar colher as informações para a corrida final em Interlagos."

Já Galid foca na próxima corrida para terminar o ano com um resultado positivo.

"Difícil, estava fazendo uma corrida perfeita para virar no top10. Ia abastecer na primeira para conseguir ser competitivo na segunda, mas infelizmente fui acertado em cheio, e quebrou o meu carro. Vamos pensar na próxima e terminar com um resultado positivo.

A Shell é a principal patrocinadora do automobilismo brasileiro, com atuação na Stock Car, Copa Shell HB20, Copa Truck e kartismo, além de atuar em categorias internacionais.

Confira a classificação da Stock já com descartes:

1º T.Camilo - 238 pontos
2º D.Serra - 236
3º R.Maurício - 231
4º R.Zonta - 224
5º G.Casagrande - 224
6º R.Barrichello - 223
7º C.Ramos - 203
8º A.Khodair - 195
9º G.Salas - 190
10º D.Nunes - 180

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1, MotoGP e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Rubinho relata emoção com filhos nas 500 Milhas de Kart e Motorsport.com estreia bem com o 11° lugar

Podcast #076 – Hamilton x Schumacher: a comparação entre os campeões da F1

Your browser does not support the audio element.