Mercado fechado

ZF e Continental concedem férias coletivas

Marli Olmos

O período é mais curto que nas montadoras, entre 12 e 14 dias; as fabricantes de veículos anunciaram paradas de três a quatro semanas Com a paralisação das montadoras, ZF e Continental, duas grandes empresas de autopeças, ambas alemãs, também decidiram conceder férias coletivas aos empregados a partir da próxima semana. O período é mais curto que nas montadoras, entre 12 e 14 dias. Os fabricantes de veículos anunciaram paradas de três a quatro semanas.

Os 2.368 trabalhadores da área produtiva da Continental estarão em férias entre os dias 30 de março e 12 e 14 de abril, dependendo da unidade. O grupo tem quatro fábricas — Guarulhos, Itapevi e Várzea Paulista, em São Paulo, e Ponta Grossa, no Paraná — e produz componentes de borracha e sofisticados dispositivos eletrônicos, como o controle de estabilidade e câmeras para veículos.

Na ZF, os 5 mil funcionários estarão em férias entre 1º e 12 de abril. Por meio de nota, a empresa disse esperar que até lá “os riscos de contágio da covid-19 sejam amenizados”. Algumas das atividades começaram a parar, de forma gradual, no início desta semana e a partir de agora o recebimento de suprimentos estará reduzido ao mínimo necessário.

O grupo ZF tem sete fábricas, todas localizadas em São Paulo — Araraquara, Engenheiro Coelho, Iracemápolis, Itu, Limeira, Sorocaba e São Bernardo do Campo —, e também é especializada em equipamentos eletrônicos sofisticados, como sistemas de segurança.

Já a Continental informou que “a decisão e respectivas datas poderão ser reavaliadas, de acordo com os desdobramentos da pandemia”. Em nota, a empresa informou, ainda, que “apesar da situação crítica, a Continental está se empenhando para que as medidas de contingência tenham efeito mínimo no emprego e renda”.