Zelenskyy encontrou-se com o Papa e com líderes italianos

Zelenskyy encontrou-se com o Papa e com líderes italianos

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, manteve conversações privadas com o Papa Francisco no Vaticano, tendo posteriormente afirmado que procurou obter o apoio do pontífice para o plano de paz da Ucrânia.

Num tweet após os 40 minutos de audiência, Zelenskyy expressou a gratidão a Francisco pela "sua atenção pessoal à tragédia de milhões de ucranianos", e disse que falou com o pontífice "sobre as dezenas de milhares de crianças (ucranianas) deportadas.

Antes das conversações com o Papa, Zelenskyy recebeu garantias dos dirigentes italianos de que a ajuda militar e outras ajudas continuarão a ser prestadas ao seu país, que luta para se libertar da invasão militar russa lançada no ano passado.

Zelenskyy iniciou as suas reuniões oficiais com uma visita a Mattarella no Palácio Presidencial. Mattarella disse a Zelenskyy que Itália está "totalmente ao seu lado". Mais tarde, após a reunião, fontes do palácio presidencial disseram que Mattarella assegurou ao seu convidado que a Itália continuará a apoiar a Ucrânia militar e financeiramente, bem como com a reconstrução e a ajuda humanitária, tanto a curto como a longo prazo. Desde o início da guerra, a Itália forneceu cerca de mil milhões de euros em ajuda militar e financeira, bem como em assistência humanitária.

Depois do encontro com o presidente, Zelenskyy encontrou-se com a primeira-ministra italiana. Giorgia Meloni prometeu apoio total à Ucrânia para acabar com a “agressão brutal e injusta” da Rússia. Falando ao lado de Zelenskyy, disse que a Itália continuará a fornecer armas à Ucrânia e a apoiar o país pelo tempo que for necessário.