Mercado abrirá em 1 h 5 min
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,04
    -0,92 (-1,11%)
     
  • OURO

    1.779,40
    +8,90 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    63.846,83
    +1.685,45 (+2,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,17
    +17,81 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.218,70
    +1,17 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    26.136,02
    +348,81 (+1,35%)
     
  • NIKKEI

    29.255,55
    +40,03 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    15.398,25
    -0,25 (-0,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5071
    +0,0109 (+0,17%)
     

Youtuber pega 15 anos de prisão por críticas ao presidente de Ruanda

·1 minuto de leitura
O presidente de Ruanda, Paul Kagame, em visita a Cabo Delgado, no norte de Moçambique, em 25 de setembro de 2021 (AFP/Simon WOHLFAHRT)

Um tribunal de Ruanda condenou nesta quinta-feira (30) uma youtuber famosa e sobrevivente do genocídio a 15 anos de prisão por "incitação à violência", após ela criticar o presidente Paul Kagame em seu canal na plataforma digital.

Yvonne Idamange, de 42 anos e mãe de quatro filhos, que não compareceu ao julgamento, foi declarada culpada de seis acusações, condenada a 15 anos de prisão e ao pagamento de uma multa equivalente a 2.000 dólares. A condenação, no entanto, foi inferior ao pedido da acusação, que queria 30 anos e o pagamento de 6.000 dólares.

Idamange, que sobreviveu ao genocídio de 1994, foi detida em fevereiro por "mostrar um comportamento que mistura política, criminalidade e loucura", disse a polícia no momento da prisão.

O Tribunal Superior de Kigali a considerou culpada de incitação à violência e ao levante público, difamação de objetos relacionados com o genocídio, difusão de rumores e agressão com uso de violência, entre outros crimes.

As acusações tiveram como base os comentários feitos por ela em seu popular canal no YouTube, "Idamange", nos quais acusou Kagame e seu governo de promover uma ditadura no país e de explorar a questão do genocídio sem oferecer ajuda suficiente aos sobreviventes.

O canal de Yvonne no YouTube conta com 18.900 assinantes e uma média de 100.000 visualizações por vídeo.

str-txw/amu/pvh/pc/es/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos