Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,23 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,34 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +0,19 (+0,29%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    50.066,63
    +1.634,62 (+3,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,20 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    -11,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

YouTube suspende conta de Trump por tempo indeterminado

·1 minuto de leitura

A plataforma de vídeos YouTube suspendeu a conta de Donald Trump por tempo indeterminado - informou a imprensa americana, enquanto seu advogado, o ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani, não poderá mais ganhar dinheiro com suas gravações.

O YouTube suspendeu o canal do agora ex-presidente, com 2,77 milhões de assinantes, pela primeira vez, em 13 de janeiro, após a violenta invasão ao Capitólio em 6 de janeiro. E, há uma semana, anunciou que iria prorrogar essa suspensão por sete dias.

A plataforma norte-americana, de propriedade do Google, foi criticada pela lentidão de sua resposta, em comparação com as medidas mais contundentes de outras redes sociais. O YouTube apenas suspendeu a transmissão de novos vídeos no canal oficial do ex-presidente.

"À luz da preocupação com os ainda possíveis atos de violência, o canal de Donald J Trump continuará suspenso", disse uma porta-voz do YouTube ao site Politico.

Na terça-feira, o YouTube confirmou para a AFP que impediu Rudy Giuliani, temporariamente, de se beneficiar de seu programa de "parceiros" por desrespeitar de forma reiterada as regras da plataforma, no que diz respeito à desinformação durante as eleições americanas.

O advogado, que acumula 600 mil assinantes em sua conta, não tem mais acesso a determinadas funções e não pode mais receber dinheiro dos anúncios veiculados antes dos vídeos.

O ex-prefeito de Nova York, de 76 anos, que também corre o risco de ser expulso do Colégio de Advogados de Nova York, alimentou teorias conspiratórias, garantindo que as eleições foram fraudadas para beneficiar o rival de Trump, o democrata Joe Biden.

juj/ces/rbu/fox/tjc/es/tt