Mercado abrirá em 5 h 33 min
  • BOVESPA

    108.376,35
    -737,80 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.006,11
    +197,55 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,78
    -1,72 (-2,19%)
     
  • OURO

    1.625,40
    -10,80 (-0,66%)
     
  • BTC-USD

    18.717,19
    -1.511,84 (-7,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    427,92
    -31,22 (-6,80%)
     
  • S&P500

    3.647,29
    -7,75 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    29.134,99
    -125,82 (-0,43%)
     
  • FTSE

    6.905,24
    -79,35 (-1,14%)
     
  • HANG SENG

    17.257,34
    -602,97 (-3,38%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.190,75
    -143,00 (-1,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1186
    -0,0413 (-0,80%)
     

YouTube revela medidas para conter desinformação durante as Eleições 2022

Para garantir lisura no conteúdo que circula no YouTube acerca das eleições deste ano, o Google anunciou uma série de medidas que movimentarão a plataforma. Ciente de sua enorme relevância para cidadãos brasileiros, o serviço de streaming usará mecanismos de aprendizagem de máquina para conter vídeos com informações enganosas, recomendará conteúdos confiáveis de autoridades e impulsionará criadores que produzem com qualidade.

As novidades do YouTube para o processo eleitoral brasileiro se baseia numa regra de “4 ‘R’s de Responsabilidade”: remoção de conteúdo que infringe políticas da plataforma; redução no alcance de conteúdo que está no “limite da conformidade”; recomendações de fontes confiáveis de notícias e informações; e recompensas para produtores de conteúdo qualificados.

Moderação com aprendizagem de máquina

Questionamentos desonestos sobre a legitimidade das eleições não terão espaço no YouTube — inclusive, sobre períodos eleitorais anteriores. “Removemos conteúdo que questione a integridade das eleições e que contenham informações falsas sobre fraude generalizada, erros ou problemas técnicos que tenham supostamente alterado o resultado de votações anteriores, após os resultados já terem sido confirmados oficialmente”, informou o Google.

Além de conter a desinformação na plataforma, o Google dará mais espaço para canais com informações de qualidade (Imagem: Reprodução/Google)
Além de conter a desinformação na plataforma, o Google dará mais espaço para canais com informações de qualidade (Imagem: Reprodução/Google)

No processo que corre este ano, as medidas de segurança da empresa evitarão a disseminação de conteúdo que tentam suprimir o direito de votar. A plataforma combaterá a publicação de vídeos que tentam enganar eleitores com informações falsas sobre hora, local, meios e requisitos, bem como alegações falsas sobre vulnerabilidades da urna eletrônica.

Mentiras sobre a qualificação de candidatos também serão podadas no serviço. Isso inclui “informações falsas sobre a inelegibilidade de candidatos ou políticos em exercício".

Por fim, incitações a interferência em processos democráticos serão inaceitáveis. “Conteúdo que incentive as pessoas a impedir ou atrapalhar quem está tentando votar” cairá na “malha fina” do YouTube.

TSE e o YouTube

Em parceria com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o YouTube dará destaque para vídeos oficiais sobre o processo eleitoral. “Para assuntos relacionados às eleições brasileiras, lançamos painéis informativos inéditos no Brasil para conectar o usuário com informações confiáveis e oferecer mais detalhes sobre temas que podem ser sujeitos a desinformação”, explicou a empresa.

O painel "Como Votar" exibirá informações sobre como participar das eleições de forma segura (Imagem: Reprodução/Google)
O painel "Como Votar" exibirá informações sobre como participar das eleições de forma segura (Imagem: Reprodução/Google)

Um desses vários painéis é o “Painel de alerta de integridade eleitoral”, uma seção informativa disponibilizada pesquisar sobre eleições no Brasil que direciona o usuário para uma página oficial do TSE. Em breve, também serão lançados os painéis “como votar” e “informações de candidatos” que, da mesma forma, servirão como canais diretos para dados legítimos e verificados.

Mais força para o jornalismo qualificado

O YouTube atuará como um grande catalisador do jornalismo brasileiro durante o processo eleitoral. A empresa destacou que já existem seções dedicadas para mostrar as notícias mais importantes na página inicial do app e nos resultados de pesquisa.

Além disso, a plataforma pretende continuar impulsionando o alcance de debates e entrevistas importantes, assim como fez no Debate Presidencial exibido no domingo (28), em parceria com a Band, TV Cultura, UOL e Folha de São Paulo. A transmissão ao vivo teve duração de 3 horas e já soma 12 milhões de visualizações até o momento.

Fortalecendo a checagem de fatos

Em iniciativas adicionais, a plataforma do Google também servirá para elevar a voz de criadores de conteúdo qualificados. A empresa estabeleceu parcerias com jornalistas, portais, pesquisadores e instituições para promover projetos que buscam enriquecer o brasileiro de informações de qualidade.

As ideias apoiadas pela empresa incluem o podcast “Eleições na Internet”, da jornalista Patrícia Campos Mello, o projeto “Nosso Papo Reto”, do portal JOTA, o curso “Jornalismo contra-hegemônico: reflexões para um novo presente”, criado pela pesquisadora e escritora Djamila Ribeiro e o fundo “Jogo Limpo”, do International Center For Journalists (ICFJ) que busca combater à desinformação com organizações de checagem de fatos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: