Mercado abrirá em 7 h 53 min
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,59
    +2,10 (+2,64%)
     
  • OURO

    1.671,00
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    19.109,35
    -215,95 (-1,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,31
    -9,12 (-2,06%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.018,62
    -204,21 (-1,19%)
     
  • NIKKEI

    26.087,72
    +150,51 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    10.980,25
    -55,25 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3114
    +0,0035 (+0,07%)
     

YouTube confirma que vídeos do Shorts poderão ser monetizados

Os vídeos do YouTube Shorts poderão, enfim, ser monetizados, confirmou o Google nesta terça (20). A novidade já havia sido antecipada pelo jornal New York Times, nesta semana, e agora chega de forma oficial com a promessa de agitar o mercado de vídeos curtos.

A intenção por trás desse movimento é bem óbvia: o Google mira o poderio imenso e cada vez maior do TikTok, grande responsável pela popularização do formato de vídeos nos últimos anos. Agora, o YouTube Shorts quer ser uma alternativa viável e provavelmente desfrutar do acesso facilitado que tem com alguns dos maiores criadores de conteúdo do mundo que fazem sucesso (e já ganham muito dinheiro) com o YouTube convencional.

“Fico orgulho de dizer que esta é a primeira vez que compartilhamento de receita real é oferecido a vídeos curtos em escala em qualquer plataforma”, celebrou o diretor de produto do YouTube Neal Mohan.

Aqui, vale lembrar que o TikTok possui, sim, um programa de compartilhamento de receita com seus criadores, mas ele ainda é bem restrito. Chamado de TikTok Pulse, o projeto atualmente permite que apenas 4% de todos os vídeos compartilhados na rede social sejam monetizados. No YouTube Shorts, as regras são as mesmas para qualquer outro canal e forma de publicação em vídeo na plataforma.

Mais músicas no Shorts

Além de garantir que os criadores poderão faturar alguns trocados com seus vídeos curtos, o YouTube confirmou hoje que o Programa de Parceiros levará acesso facilitado a músicas licenciadas. Assim, quem resolver se aventurar, não corre o risco de ter o conteúdo prejudicado por uso não autorizado de músicas.

YouTube Shorts monetizado

No mesmo evento em que apresentou as novidades, o YouTube confirmou que os criadores de Shorts poderão se inscrever no YouTube Partner Program a partir do começo de 2023. Os critérios para ganhar dinheiro com o YouTube Shorts são os seguintes:

  • Canal com pelo menos 1.000 inscrições;

  • 10 milhões de visualizações em 90 dias.

Cumprindo-se tal requisito, os vídeos curtos começaram a gerar receita tal qual ocorre com os vídeos tradicionais postados no canal.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: