Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.139,49
    -491,81 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

YouTube anuncia série vídeos de utilidade pública sobre vacinas contra COVID

Ramon de Souza
·3 minuto de leitura

O YouTube anunciou, nesta segunda-feira (26), que passará a produzir (em parceria com entidades científicas, especialistas em saúde e influenciadores de renome) vídeos de utilidade pública sobre vacinas contra COVID-19. Esses conteúdos serão veiculados dentro da própria plataforma, na rede aberta de televisão, em certas emissoras de rádio e em peças de publicidade em outras redes sociais. De início, o foco é atingir os cidadãos estadunidenses com idade entre 18 a 34 anos, com expansão para outros países planejada "para as próximas semanas".

“Temos o compromisso de garantir que as pessoas tenham acesso a informações confiáveis sobre a vacina, incluindo como ela foi desenvolvida e testada, o que podem esperar quando receber a vacina e como cada pessoa desempenha um papel na saúde pública. Ouvir informações imprecisas pode gerar dúvidas na mente de alguém e é por isso que organizações científicas e médicas de confiança estão fazendo parceria com o YouTube para garantir que informações confiáveis cheguem às pessoas de maneiras acessíveis e culturalmente relevantes”, explica a companhia.

Os vídeos também serão centralizados na página especial www.youtube.com/vaccineinfo; atualmente, ao acessar tal endereço no Brasil, somos direcionados para uma versão mais modesta da campanha, que agrupa vídeos de influenciadores e instituições de renome (como Fiocruz e Hospital Israelita Albert Einstein) a respeito de tal tema. Lá fora, o programa está sendo desenvolvido em parceria com o Vaccine Confidence Project, uma iniciativa criada em 2010 justamente para conter a disseminação de desinformações sobre vacinas, não apenas contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2).

“Não estamos apenas focados em garantir que o público tenha acesso a informações confiáveis, mas também em garantir que as informações sejam fornecidas por meio de diversas vozes que tragam perspectivas e experiências únicas. Estamos reunindo especialistas em saúde de todo o mundo com todos, desde artistas musicais a comediantes, ícones da moda a FarmTubers, para ajudar a alcançar os usuários de novas maneiras e desvendar as questões difíceis em torno da segurança e eficácia das vacinas”, complementa o anúncio.

Twitter lança painel dedicado

Em uma ação similar, o Twitter inaugurou, já adaptada para a realidade brasileira, uma página especial que também compila as principais informações sobre as vacinas disponíveis em nosso país. Batizada de simplesmente como “Covid-19: o que você precisa saber sobre a vacinação no Brasil”, ela compila tweets confiáveis que explicam sobre os imunizantes usados no país, intervalos entre doses, eficácia das vacinas, efeitos adversos registrados e o que fazer após ser imunizado.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

“Ao passo que as vacinas contra a COVID-19 ficam mais acessíveis, queremos que todos tenham acesso às informações sobre o assunto. Nesta semana, você verá um aviso na página inicial indicando fontes confiáveis sobre segurança, eficácia e planos de distribuição de vacinas”, explicou a rede social através de seu perfil oficial de suporte. Vale lembrar que ambas as plataformas estão em uma luta ferrenha por tal causa, usando algoritmos e aprendizagem de máquina para eliminar fake news a respeito da imunização contra a doença.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: