Mercado abrirá em 2 h 10 min
  • BOVESPA

    111.399,91
    +2.506,91 (+2,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.895,63
    +1.116,73 (+2,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,72
    +0,17 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.826,80
    +7,90 (+0,43%)
     
  • BTC-USD

    19.141,06
    -30,68 (-0,16%)
     
  • CMC Crypto 200

    375,30
    -4,56 (-1,20%)
     
  • S&P500

    3.662,45
    +40,82 (+1,13%)
     
  • DOW JONES

    29.823,92
    +185,32 (+0,63%)
     
  • FTSE

    6.394,56
    +9,83 (+0,15%)
     
  • HANG SENG

    26.532,58
    -35,10 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.800,98
    +13,44 (+0,05%)
     
  • NASDAQ

    12.438,75
    -13,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3025
    -0,0045 (-0,07%)
     

YouTube adota checagem de fatos e alertas em buscas sobre vacinas da COVID-19

Fidel Forato
·2 minuto de leitura

Em esforço para combater a desinformação entre os vídeos, o YouTube adota ferramenta de fact-checking em buscas sobre a pandemia da COVID-19 e recomenda que o usuário acesse links externos para assuntos relacionados ao novo coronavírus (SARS-CoV-2), principalmente quando estão relacionados a vacinação.

Na hora de buscar por termos simples como "coronavírus" e "COVID-19", o usuário encontra os resultados esperados, mas a plataforma também adicionou uma caixa com links externos sobre o assunto, tanto de fontes científicas confiáveis para o Google. Prática similar já é adotada por outras redes sociais, como o Instagram.

YouTube recomenda sites confiáveis quando usuário pesquisa sobre o coronavírus (Imagem: Captura de Tela/Fidel Forato/Canaltech)
YouTube recomenda sites confiáveis quando usuário pesquisa sobre o coronavírus (Imagem: Captura de Tela/Fidel Forato/Canaltech)

Segundo o site C|Net, esses links direcionam os usuários a informações de autoridades de saúde locais, como os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos ou ainda a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, a maior parte dos redirecionamentos pesquisadas é enviada para a página oficial do Ministério da Saúde (MS), onde a pessoa pode conferir desde sintomas da COVID-19 até notícias sobre o enfrentamento público da epidemia. No entanto, a opção ainda não aparece nos apps para smartphones.

YouTube passa a fornecer conteúdo verificado contra fake news da COVID-19 (Imagem: Captura de tela/Fidel Forato/Canaltech)
YouTube passa a fornecer conteúdo verificado contra fake news da COVID-19 (Imagem: Captura de tela/Fidel Forato/Canaltech)

Após ser muito criticada por proliferar teorias de conspiração e desinformação, está é uma importante iniciativa para a plataforma, já que lembra o usuário onde encontrar informações confiáveis. Entre essas medidas, está a adoção de checagem de fatos independentes sobre alguns conteúdos relacionados ao coronavírus. Por exemplo, ao pesquisar sobre "vacina modifica o DNA" ou "vacina microchip", o usuário é informado que o conteúdo buscado se trata de fake news.

Temas relacionados a vacinação contra a COVID-19 recebem atenção extra do YouTube (Imagem: Captura de Tela/ Fidel Forato/Canaltech)
Temas relacionados a vacinação contra a COVID-19 recebem atenção extra do YouTube (Imagem: Captura de Tela/ Fidel Forato/Canaltech)

No entanto, pesquisas sobre termos mais gerais, como "vacina", ou ainda termos xenofóbicos, como "vírus chinês", não são linkados a nenhum tipo de conteúdo especial, seja ele de checagem de informações ou de organização oficias que combatem a disseminação do coronavírus.

Vale lembrar que, ainda nesta semana, o YouTube anunciou que começaria a remover fake news sobre vacinas contra o coronavírus, estendendo também a esse tipo de conteúdo as regras que já existiam sobre manipulação política, teorias da conspiração e demais publicações de caráter duvidoso.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: