Mercado abrirá em 5 h 45 min
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,53 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,57
    +0,18 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.890,70
    +14,10 (+0,75%)
     
  • BTC-USD

    22.772,86
    -609,59 (-2,61%)
     
  • CMC Crypto 200

    522,77
    -14,09 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,89 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.261,61
    -398,86 (-1,84%)
     
  • NIKKEI

    27.662,78
    +153,32 (+0,56%)
     
  • NASDAQ

    12.576,25
    -47,75 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5376
    -0,0009 (-0,02%)
     

Yields saltam nos EUA com dados que elevam aposta em pico do Fed

(Bloomberg) -- Os yields dos títulos do Tesouro americano saltaram com dados econômicos fortes que elevaram as apostas no nível que os juros do Federal Reserve podem atingir.

A reação no mercado de dívida americano elevou o rendimento do título de 10 anos em até 0,12 ponto percentual, para 3,61%. Os swaps mostraram aumento semelhante nas expectativas de onde ficará a taxa final do Fed, indicando um pico próximo a 5% em meados de 2023. O dólar também deu um salto em relação às principais moedas, enquanto as ações americanas acentuaram sua queda.

O mercado de Treasuries já estava sob pressão antes dos dados sobre pedidos de fábricas e serviços que mostraram um quadro econômico mais robusto, mas o movimento se estendeu após os números.

O indicador de serviços do Institute for Supply Management subiu inesperadamente para 56,5 em novembro, de 54,4 no mês anterior. O aumento foi o maior desde março de 2021, sugerindo que a maior parte da economia americana continua forte.

“É um número difícil de questionar”, disse Tony Farren, diretor-gerente de vendas e negociação de taxas do Mischler Financial Group.

Os mercados podem continuar turbulentos à medida que o final do ano se aproxima e, junto com ele, a reunião final do Fed de 2022, de 13 e 14 de dezembro. Os mercados continuam precificando um aumento de meio ponto para esse encontro, o que representaria uma desaceleração no ritmo de aperto. O Fed elevou juros em 0,75 ponto percentual em sua última reunião.

O mercado agora aguarda o relatório de preços ao consumidor da próxima semana.

Além disso, a liquidez — já sob pressão — normalmente é menor no fim de ano, o que significa que há espaço para transações menores causarem oscilações desproporcionais.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.