Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    61.156,48
    -1.012,26 (-1,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Yellen diz ser "absolutamente essencial" elevar teto da dívida e se opõe a "truque" com moeda de platina

·2 minuto de leitura
Secretária de Tesouro dos EUA, Janet Yellen, durante audiência na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos em Washington

(Reuters) - A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, afirmou nesta terça-feira que é "absolutamente essencial" que o Congresso norte-americano eleve o limite da dívida federal antes do prazo de 18 de outubro para evitar um calote, mas acrescentou que se opõe ao uso de uma brecha na lei cambial norte-americana para resolver a crise.

Yellen disse em entrevista à CNBC que ela opõe-se à cunhagem de moeda de platina de 1 trilhão de dólares para resolver o problema.

A ideia vem de uma brecha legal que permite ao Tesouro cunhar moedas de platina no valor que escolher. Alguns comentaristas progressistas e parlamentares democratas sugeriram cunhar uma ou mais moedas de 1 trilhão de dólares para quebrar o impasse no qual os republicanos se recusam a apoiar uma elevação do teto da dívida de atuais 28,4 trilhões de dólares.

"Eu me oponho a isso e não acho que devemos levar isso a sério", disse Yellen. "É realmente um truque."

Yellen disse que tal movimento "é equivalente a pedir ao Federal Reserve que imprima dinheiro para cobrir déficits que o Congresso não está disposto a cobrir por meio da emissão de dívidas. Isso compromete a independência do Fed, combinando política monetária e fiscal".

Ela acrescentou que isso "faria o oposto" de mostrar que o Congresso e o governo são confiáveis para pagar as contas dos EUA.

Questionada se apoiaria um processo chamado "reconciliação" para que o limite seja elevado sem qualquer apoio dos republicanos, Yellen disse: "Eu apoio que (a elevação) seja feita... Temos que aumentar o teto da dívida como uma questão de rotina sempre que o país apresentar déficits orçamentários".

(Reportagem de Dan Burns e David Lawder)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5047 2984)) REUTERS CMO ES PVB LB

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos