Mercado abrirá em 8 h 28 min
  • BOVESPA

    106.924,18
    +1.236,18 (+1,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.579,90
    +270,60 (+0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,93
    -1,56 (-1,41%)
     
  • OURO

    1.808,80
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    30.352,19
    +636,12 (+2,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    681,84
    +0,73 (+0,11%)
     
  • S&P500

    4.023,89
    +93,81 (+2,39%)
     
  • DOW JONES

    32.196,66
    +466,36 (+1,47%)
     
  • FTSE

    7.418,15
    +184,81 (+2,55%)
     
  • HANG SENG

    19.825,12
    -73,65 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    26.547,24
    +119,59 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    12.314,25
    -68,50 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2514
    -0,0077 (-0,15%)
     

Yellen diz que Fed pode baixar inflação sem causar recessão

Janet Yellen, secretária do Tesouro dos EUA

WASHINGTON (Reuters) - A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse acreditar que o Federal Reserve pode reduzir a inflação sem causar uma recessão por causa de um forte mercado de trabalho nos EUA, da sólida situação financeira das famílias, de baixos custos da dívida e de um setor bancário robusto.

Em audiência do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados dos EUA nesta quinta-feira, Yellen disse que "todas essas coisas sugerem que o Fed tem um caminho para reduzir a inflação sem causar uma recessão, e sei que seu objetivo será tentar conseguir isso".

Yellen disse durante a audiência sobre o trabalho do Conselho de Supervisão de Estabilidade Financeira que a inflação é a "questão econômica número um" que o país e o governo Biden enfrentam.

“(A alta dos preços) está tendo um impacto adverso substancial em muitas famílias vulneráveis ​​e estamos focados em lidar com a inflação", afirmou Yellen. Ela repetiu as iniciativas do governo Biden para segurar os preços da gasolina por meio de grandes liberações de petróleo bruto da Reserva Estratégica de Petróleo e esforços para desbloquear congestionamentos nos portos dos EUA.

Yellen disse que vários fatores estão alimentando a inflação, inclusive saltos nos preços de energia como consequência da invasão da Ucrânia pela Rússia e problemas contínuos na cadeia de suprimentos causados ​​pela pandemia, e que outros países também enfrentam uma inflação elevada.

"Isso mostra que há fatores além dos gastos nos Estados Unidos que são críticos para a inflação", afirmou.

(Por David Lawder)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos