Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,61
    +0,17 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.781,10
    +2,70 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    55.490,46
    +623,62 (+1,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.274,33
    +39,91 (+3,23%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.859,87
    -140,21 (-2,00%)
     
  • HANG SENG

    28.661,58
    -474,15 (-1,63%)
     
  • NIKKEI

    28.517,28
    -583,10 (-2,00%)
     
  • NASDAQ

    13.741,25
    -53,00 (-0,38%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6872
    -0,0153 (-0,23%)
     

Xuxa pede desculpas por defender testes de produtos em presidiários: "Julguei e maltratei"

Giselle de Almeida
·4 minuto de leitura
Xuxa Meneghel. Foto: reprodução/Instagram/xuxamenegheloficial
Xuxa Meneghel. Foto: reprodução/Instagram/xuxamenegheloficial

Resumo da notícia

  • Xuxa sugeriu que remédios e vacinas sejam testados em presidiários

  • Declarações da apresentadora geraram revolta na internet

  • Ela reconheceu que errou e pediu desculpas

Uma fala de Xuxa causou revolta nas redes sociais na noite da última sexta-feira (26). A apresentadora virou um dos assuntos mais comentados do Twitter ao defender que remédios e vacinas sejam testados em presidiários, e não em animais. Após a repercussão negativa, a apresentadora pediu desculpas.

A declaração foi dada durante uma live no Instagram da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) sobre direitos dos animais.

Leia também:

"Eu tenho um pensamento que pode parecer muito ruim para as pessoas, desumano... Na minha opinião, existem muitas pessoas que fizeram muitas, muitas coisas erradas e estão aí pagando pelos seus erros num ad eternum, para sempre em prisões. Poderiam ajudar nesses casos", disse na ocasião. Ela então acrescentou: "Pelo menos serviriam para alguma coisa antes de morrer, para ajudar a salvar vidas", afirmou, durante a entrevista.

Continuando o raciocínio, Xuxa ainda previu que sua sugestão poderia não ser bem vista por uma parcela da sociedade, pois, afinal, ela está falando de tratar pessoas como cobaias.

"Aí vai vir um pessoal dos Direitos Humanos e dizer que 'não, eles não podem ser usados'. Mas acho que se são pessoas que está provado que irão passar 60 anos na cadeia, cinquenta anos na cadeia e que irão morrer lá, acho que poderiam usar ao menos um pouco da vidas delas para ajudar outras pessoas. Provando remédios, vacinas, provando tudo nessas pessoas", disse. "Essa é a minha opinião: já que vai morrer na cadeia, que pelo menos sirvam para ajudar em alguma coisa."

Declarações causaram comoção na web

Vários internautas reagiram à fala da apresentadora e rebateram seus argumentos. Além de lembrar que não existe prisão perpétua no Brasil, muitos pontuaram que a maior parte da população carcerária é formada por pessoas negras e pobres.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em muitos tuítes, também foi discutido que a prática de experimentos em pessoas encarceradas, consideradas indesejadas pela sociedade, eram semelhantes a uma conhecida medida adotada durante o nazismo na Alemanha.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Apresentadora pediu desculpas

Em um vídeo publicado na madrugada deste sábado (27), Xuxa reconheceu que errou em suas declarações e pediu desculpas.

"Eu estou aqui pedindo desculpas para todos vocês. Eu, que não usei as palavras corretas. Pensei uma coisa, pensei em muitas coisas? Quis falar sobre muitos assuntos, e não fugir do assunto principal, que era dos animais, dos maus-tratos e de pessoas que fazem muitas coisas maltratando vidas. E também julguei, também maltratei", afirmou.

A apresentadora ainda tentou explicar sua menção aos presidiários e se defendeu das acusações de racismo.

"Algumas pessoas usaram a expressão, que eu fui falando sobre raças, sobre negros, sobre presidiários negros e pobres. Mas não me passou nada disso pela cabeça. O que me passou foi uma pessoa que estupra uma criança, que fica anos em um presídio e poderia pensar em ajudar as pessoas de outras maneiras. É errado? É errado. Me expressei mal?, me expressei mal", completou ela, ressaltando as falhas do sistema penitenciário.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.