Mercado fechado

Xuxa pede demissão e cassação do título de jornalista de Sikêra Jr. em processo

Emily Santos
·3 minuto de leitura
Xuxa processa Sikêra Jr. (Foto: Reprodução/Instagram @xuxamenegheloficial e @sikerajr)
Xuxa processa Sikêra Jr. (Foto: Reprodução/Instagram @xuxamenegheloficial e @sikerajr)

Após ser chamada de pedófila e ser acusada de fazer apologia as drogas, Xuxa Meneghel entrou com um processo contra o apresentador do ‘Alerta Nacional’ (RedeTV) Sikêra Jr. A apresentadora da Record pede a cassação do título de jornalista e a demissão do profissional da RedeTV, além de uma indenização de R$ 500 mil.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A ação foi protocolada em 27 de outubro na Vara Cível do Foro Regional de Santo Amaro, em São Paulo. Na solicitação, Xuxa pediu tutela de urgência e alegou que Sikêra oferece riscos à sociedade.

Ainda em outubro, a apresentadora usou o espaço de sua coluna na Vogue para publicar um texto crítico a atitude do funcionário da RedeTV de fazer piada ao vivo com um caso de zoofilia. Xuxa também lançou uma campanha que contou com a participação de personalidades como Ana Maria Braga, Angélica, Ratinho, padre Fábio de Melo, Rita Lee e Paolla Oliveira, que defenderam que “Zoofilia é crime, não é piada”.

Leia também

A partir de então, a mãe de Sasha sofreu ataques do apresentador, que a acusou de incentivar crianças a “safadeza, putaria e suruba” após lançar o livro livro ‘Maya, o Bebê Arco-Íris’, sobre uma garotinha que tem duas mães.

“A que se diz rainha. A que vai lançar um livro LGBT para crianças. Cuidado com teu filho, cuidado com tua filha. A mesma que fez um filme nua com uma criança de 12 anos. Ex-rainha, eu quero dizer para você que pedofilia é crime e não prescreve”, disse Sikêra.

O apresentador também acusou a rainha dos baixinhos de fazer apologia às drogas, o que Xuxa negou. “Todos sabem o quanto eu sou contra qualquer tipo de droga, ilícita ou não: não bebo, não fumo e nunca me droguei, nem por curiosidade. Minha filha, e quem me conhece, sabe disso e em um contexto bem diferente, falando da cannabis, comentou que, antes de eu morrer, deveria tomar um porre e provar maconha, ou seja, me permitir errar um pouco. Foi um comentário e não uma realidade”, explicou.

Com as acusações, a apresentadora resolveu ir às vias jurídicas pedir a proibição da veiculação de qualquer programa na RedeTV com a participação de Sikêra sob a pena de multa diária de R$ 20 mil para cada episódio veiculado no período. Ela pede ainda a aplicação de uma penalidade de acordo com o Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros, além da cassação do título de jornalista do apresentador.

Já a indenização pedida por Xuxa será doada para duas instituições apontadas no processo, caso ganhe. Ambas as instituições, a Associação Lar Acolhedor Tia Socorro, de Belém (PA) e o Instituto de Assistência à Criança e ao Adolescente Santo Antônio, de Manaus (AM), atendem crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade ou vítimas de abuso ou exploração sexual.

Xuxa pede também a divulgação da sentença do jornalista em veículos de comunicação nacionais, como forma de apuração das infrações éticas cometidas por Sikêra durante o exercício de sua função. E ainda que o que o Ministério Público apure os supostos crimes do apresentador e que todas as pessoas já agredidas verbalmente por ele sejam ouvidas em juízo.