Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.970,00
    +441,03 (+0,91%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,07
    -1,60 (-2,55%)
     
  • OURO

    1.795,20
    +16,80 (+0,94%)
     
  • BTC-USD

    55.560,31
    -551,34 (-0,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.285,65
    +22,68 (+1,80%)
     
  • S&P500

    4.172,85
    +37,91 (+0,92%)
     
  • DOW JONES

    34.146,86
    +325,56 (+0,96%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.621,92
    -513,81 (-1,76%)
     
  • NIKKEI

    28.508,55
    -591,83 (-2,03%)
     
  • NASDAQ

    13.894,75
    +100,50 (+0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7022
    -0,0003 (-0,00%)
     

XP lança cartão de crédito, mira dobrar recursos sob gestão para R$1,4 tri

·1 minuto de leitura
.

SÃO PAULO (Reuters) - A plataforma de investimentos XP lançou nesta quarta-feira seu cartão de crédito, como parte de sua estratégia de diversificar a oferta de serviços financeiros para ampliar o relacionamento com clientes e dobrar o volume de recursos sob gestão, para cerca de 1,4 trilhão de reais.

Uma das características do cartão lançado é a variedade no sistema de recompensas nas compras feitas com o cartão de crédito. Em vez do cashback, que devolve uma parte do valor gasto na forma de crédito para novas compras, o produto da XP tem o 'investback', que permite o retorno de 1% em todas as compras e entre 2% e 10% para compras dentro do marketplace, com recursos podendo ser usados para investimento.

Emitido com a bandeira Visa, o cartão internacional é isento de taxa de anuidade e, segundo a XP, cobra taxa de juros no crédito rotativo bem inferiores às praticadas no mercado.

Ainda em 2021, a XP deve lançar também sua conta digital e cartão de débito, disse presidente-executivo, Guilherme Benchimol.

"Com os novos produtos bancários, temos condições de trazer para a XP uma parcela maior dos recursos de clientes que estão depositados em outras instituições", disse o executivo em coletiva online com jornalistas. "Só com isso, podemos dobrar nosso volume sob gestão, para 1,4 trilhão de reais."

(Por Aluisio Alves)