Mercado abrirá em 2 h 50 min
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,12
    -0,23 (-0,37%)
     
  • OURO

    1.787,10
    -6,00 (-0,33%)
     
  • BTC-USD

    54.206,38
    -1.318,58 (-2,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.254,90
    -8,06 (-0,64%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.906,23
    +10,94 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.914,25
    -5,00 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6452
    -0,0568 (-0,85%)
     

XP lança cartão de crédito

ISABELA BOLZANI
·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A XP anunciou nesta quarta-feira (10) o lançamento do seu cartão de crédito. Inicialmente voltado para clientes com investimentos de R$ 50 mil ou mais na corretora, o novo plástico oferecerá juros inferior à da média do mercado, não terá anuidade e contará com Investback. O anúncio marca a entrada da XP no mercado de cartões. Para este ano, ainda são previstos os lançamentos da conta digital, da função débito e outras funcionalidades. O Investback, segundo a XP, tem um formato parecido com os modelos de pontuação e "cashback" mas, em vez de devolver pontos ou dinheiro para o consumidor, a parcela é diretamente investida em um fundo de investimentos que tem retorno de 99,5% do CDI (certificado de depósito interbancário, referência de retorno para investimentos). Segundo a XP, todas as compras feitas com o cartão terão um Investback de 1% do valor transacionado. Caso as compras sejam feitas nas 25 lojas parcerias por meio do marketplace da companhia, o Investback tem um valor adicional entre 2% e 10% da transação. A média de juros cobrados pelo rotativo de cartão da XP será de 5,9% ao mês -a média do mercado, segundo os últimos dados do Banco Central, ficou em 12,9% ao mês. No parcelado do cartão, os juros cobrados pela XP serão de 3,9% ao mês -contra 8,3% ao mês do sistema financeiro. Para alguns segmentos específicos, os juros podem ser de 2% ao mês, afirmou Bruno Guarnieri, chefe de produtos digitais da XP, sem dar mais detalhes. A meta, segundo o executivo, é expandir o cartão para todos os clientes da companhia até o final deste ano. Segundo o presidente da XP, Guilherme Benchimol, os juros menores tendem a pressionar taxas mais razoáveis nos grandes bancos. Além disso, um dos principais objetivos do cartão é conseguir fazer com que os clientes migrem seus recursos completamente para a companhia. "Caso a gente consiga fazer isso, nós conseguiríamos dobrar a empresa e chegar a R$ 1,4 trilhão [de ativos sob custódia] sem ter nenhum novo cliente, só convencendo aqueles que já investem conosco a trazer o seu dinheiro", afirmou o empresário em entrevista a jornalistas. Segundo Benchimol, os mais de três milhões de clientes da corretora deixam de 45% a 50% de toda a liquidez na XP -a outra metade ainda fica com os grandes bancos, como Banco do Brasil, Bradesco e Itaú Unibanco. "Oferecer a experiência completa é o que faz os 50% migrarem para 100%", disse. Até o momento, o cartão -cujo piloto já estava em uso por um número restrito de pessoas- conta com mais de 35 mil clientes ativos. Segundo a XP, esses usuários já incrementaram seus investimentos junto à corretora em 10 pontos percentuais. O cartão tem um contrato de exclusividade com a Visa e será aceito nas principais carteiras digitais. Pelo aplicativo da corretora, o cliente poderá acompanhar seus gastos, receber atendimento e acessar o marketplace da XP. Seguro de emergência médica internacional, para locação de veículos e um concierge por chat ou telefone que pode ajudar com dicas para restaurantes e roteiros de viagens, por exemplo, também serão oferecidos.