Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.264,96
    +859,61 (+0,67%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.315,69
    -3,88 (-0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,51
    -0,15 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.783,50
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    31.648,60
    -3.980,04 (-11,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    765,60
    -84,74 (-9,97%)
     
  • S&P500

    4.224,79
    +58,34 (+1,40%)
     
  • DOW JONES

    33.876,97
    +586,89 (+1,76%)
     
  • FTSE

    7.062,29
    +44,82 (+0,64%)
     
  • HANG SENG

    28.489,00
    -312,27 (-1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.137,50
    +102,50 (+0,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9819
    -0,0542 (-0,90%)
     

XP considera volta de plataforma própria de criptomoedas, diz jornal

·2 minuto de leitura

A XP Investimentos estaria considerando voltar ao mercado de criptomoedas com uma plataforma própria.

Com a saída do Itaú Unibanco da sociedade, a XP passaria a ter caminho livre para ingressar em mercados alternativos, como o de criptomoedas.

Conforme apurado pelo Estadão, o Itaú, que detinha 49% da corretora, impedia investimentos da empresa no desenvolvimento de uma plataforma e produtos relacionados a criptomoedas para os seus clientes.

Curiosamente, o Itaú anunciou em maio deste ano a intenção de lançar seu próprio fundo envolvido com o setor de criptomoedas, ligado a empresas atuantes neste setor, como as de mineração.

Agora que o banco está começando a se desfazer de suas ações da corretora, repassando sua participação para os seus acionistas, o caminho estaria livre para a XP também explorar alternativas no segmento.

Não seria a primeira vez que a XP buscaria alternativas neste mercado. O seu atual CEO, Thiago Maffra, foi o responsável pela exchange XDEX, lançada em 2018.

O projeto da corretora na época era de fazer a XDEX disputar com a Mercado Bitcoin e a Foxbit o posto de maior exchange de criptomoedas do país.

No entanto, a exchange não obteve sucesso entre os brasileiros, anunciando o fim de suas atividades em março de 2020. Os motivos alegados seriam as incertezas envolvidas no mercado cripto, pouca perspectiva de projeção e a forte concorrência do setor.

Atualmente, a XP oferece aos seus usuários exposição a criptomoedas apenas por meio de fundos de investimento aprovados pela CVM, como os da Hashdex.

No entanto, com o avanço do setor no país, e com a saída do Itaú, segundo o Estadão, é possível que a corretora ofereça fundos próprios e exclusivos envolvendo criptoativos para os seus clientes, além de uma nova plataforma de investimentos.

O artigo XP considera volta de plataforma própria de criptomoedas, diz jornal foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos