Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.779,50
    +2,10 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    32.396,60
    +616,58 (+1,94%)
     
  • CMC Crypto 200

    767,68
    -26,65 (-3,36%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.309,76
    -179,24 (-0,63%)
     
  • NIKKEI

    28.884,13
    +873,20 (+3,12%)
     
  • NASDAQ

    14.276,00
    +17,75 (+0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9199
    +0,0001 (+0,00%)
     

XP compra controle de hospital de olhos CBV via fundo de private equity

·2 minuto de leitura

O fundo de private equity gerido pela plataforma digital de investimentos XP Inc. adquiriu o controle no hospital de olhos CBV por R$ 200 milhões, disseram os executivos da XP nesta segunda-feira (1).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A XP planeja usar o CBV como uma plataforma de consolidação em um setor bastante pulverizado no Brasil, com 5.000 clínicas em todo o país e com receitas anuais em torno de 8 bilhões de reais, disse Chu Kong, sócio da XP, em entrevista à Reuters.

Leia também

O acordo é o mais recente sinal de consolidação no fragmentado setor de saúde brasileiro, seguindo uma tendência observada anteriormente em laboratórios, hospitais e clínicas oncológicas.

"Clínicas oftalmológicas e hospitais são um negócio atraente porque o tratamento oftalmológico ainda tem uma penetração baixa no Brasil e também porque é um tratamento que permeia todas as fases da vida", disse Kong, que não especificou o tamanho da participação da XP na empresa.

O CBV, com sede em Brasília, é a primeira aquisição do recém-lançado fundo de private equity da XP, que levantou R$ 1,3 bilhão com mais de 5 mil investidores em fevereiro para investir em empresas de médio porte.

Fundado pelo médico Marcos Ávila em 2004, o hospital registrou uma receita de quase R$ 80 milhões no ano passado, realizando 100 mil consultas e 7 mil cirurgias.

"Me juntei à XP porque vi a oportunidade de consolidar o setor, mas não tinha capital para financiar o projeto sozinho", disse Ávila, acrescentando que todo o dinheiro investido pela XP financiaria o crescimento da empresa. A meta da CBV é atingir 1 milhão de consultas em cinco anos após aquisições e crescimento orgânico.

Ávila permanecerá no negócio como acionista e diretor médico. Mas Rafael Mendes, ex-sócio das empresas de capital privado Victoria Capital Partners e Principia Capital Partners, foi escolhido como CEO. Anteriormente, Mendes liderava aquisições pelo grupo de oncologia Oncoclínicas.

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos