Mercado abrirá em 19 mins
  • BOVESPA

    108.013,47
    +1.345,81 (+1,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.823,23
    -408,97 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,79
    -0,17 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.838,20
    -5,00 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    42.084,95
    +126,62 (+0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    999,97
    +5,22 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.532,76
    -44,35 (-0,97%)
     
  • DOW JONES

    35.028,65
    -339,82 (-0,96%)
     
  • FTSE

    7.582,22
    -7,44 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    15.166,75
    +133,25 (+0,89%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1647
    -0,0027 (-0,04%)
     

XP compra Banco Modal por R$ 3 bi e reforça aquisições em cenário de juros altos

·6 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 07.08.2018 - Guilherme Benchimot, da XP Investimentos. (Foto: Joel Silva/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 07.08.2018 - Guilherme Benchimot, da XP Investimentos. (Foto: Joel Silva/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ao anunciar na manhã desta sexta-feira (7) a aquisição do Banco Modal, avaliando a instituição financeira em cerca de R$ 3 bilhões, a XP Inc. reforça ainda mais sua estratégia de crescer no mercado de maneira inorgânica, se valendo do poder de fogo para incorporar negócios nos quais enxerga potencial relevante de ganhos de sinergia.

Na terça-feira (4) desta semana, a XP já havia anunciado celebração de acordo para aquisição de uma participação minoritária estratégica no Grupo Suno, envolvendo a casa de análise independente Suno Research, a gestora de recursos Suno Asset, entre outras frentes de conteúdo, dados e análise sobre o mercado financeiro.

As movimentações neste início de ano dão prosseguimento à postura já observada ao longo de 2021, quando a plataforma de investimento fundada por Guilherme Benchimol promoveu um importante movimento de consolidação no mercado local.

Ao longo do ano passado, a XP adquiriu participações minoritárias em uma série de gestoras de recursos de fundos multiestratégia como AZ Quest, Vista Capital, Jive, Capitânia e Giant Steps, entre outras.

Segundo comunicados divulgados à época das aquisições, elas fazem parte da estratégia da XP de desenvolver o "mais completo ecossistema de gestores e distribuidores" do país.

"Adicionalmente, o desenvolvimento de gestoras independentes vai de encontro a nossa estratégia ao contribuir com o aumento da liquidez no mercado secundário, o que por sua vez ajuda no processo de democratização de produtos de investimento para mais brasileiros."

Além disso, em linha com a compra recente de uma fatia na Suno, na janela dos últimos 12 meses, a XP também fez movimentos de consolidação com o foco em casas de análises independentes de pesquisa de ações.

Levante e Ohm Research se tornaram alvos da corretora, que já havia estabelecido parceria com a jornalista Luciana Seabra para formar a Spiti no final de 2019.

Apesar de todo o esforço movido por Benchimol, Thiago Maffra, o atual presidente da XP, e companhia, frente ao cenário de juros altos e menor atratividade da renda variável, as ações da XP e do Banco Modal, que fez seu IPO na bolsa americana Nasdaq em abril de 2021, têm sido penalizadas pelos investidores.

As ações da XP negociadas recuam 27,9% no acumulado dos 12 meses, até 6 de janeiro de 2022, enquanto as do Modal têm desvalorização de 58,2%. Já nesta sexta, os papéis do Modal tinham forte alta de 43%, por volta das 13h30. As da XP avançavam cerca de 1,5%.

"Vemos o anúncio como positivo para ambas as partes. Para a XP, faz sentido ganhar mais exposição no segmento B2C [business to consumer], especialmente considerando a forte presença do Modal no mercado de mini-futuros de câmbio e índices", dizem os analistas do Bradesco BBI, em relatório.

Os especialistas apontam ainda ser já esperado o forte movimento de alta dos papéis do Modal nesta sexta, de modo a incorporar o prêmio oferecido pela XP.

A aquisição do Modal será paga por meio da emissão de até 19,5 milhões novas ações da XP, o que representa 35% do preço do banco nos últimos 30 dias.

Com base no fechamento de US$ 27,09 (R$ 154,51) de quinta-feira (6), o volume da operação deve girar em torno de US$ 528,2 milhões (R$ 3,01 bilhões).

​Até 100% do Modal será incorporado por uma subsidiária da XP —caso o banco não consiga as aprovações necessárias dos acionistas minoritários, o equivalente a 55,7% será adquirido dos acionistas controladores.

Segundo o comunicado, em setembro do ano passado as duas empresas juntas somavam 3,8 milhões de clientes ativos, em contraste com os 457 milhões dos cinco maiores bancos brasileiros.

"A XP Inc. e o Banco Modal, que juntos representam ainda uma pequena fração do mercado em que atuam, vão acelerar o processo de disrupção que vem acontecendo na indústria financeira no Brasil, caracterizada por um alto potencial de crescimento e poucos players dominantes", afirma o texto.

O comunicado sustenta ainda que o Banco Modal usufruirá da infraestrutura e conhecimento da XP, mas continuará "independente e segregado".

"Sem dúvida, nossa união com o Modal nos permitirá ganhar ainda mais competitividade na disputa contra os bancos tradicionais", afirmou o presidente-executivo da XP, Thiago Maffra, em nota.

"Na hora que a gente coloca as pessoas que temos aqui junto com as da XP, a tecnologia que montamos, também junto com a deles, e, na prática, começamos a absorver todos os benefícios de escala, não tem dúvida que isso tem um potencial bastante explosivo, muito positivo", afirmou Cristiano Ayres, presidente executivo do Banco Modal, durante teleconferência nesta sexta.

"Com a Operação, a XP e o Modal pretendem acelerar o processo de disrupção da indústria financeira brasileira, atualmente marcada pelo alto potencial de crescimento e poucos players dominantes", diz comunicado divulgado nesta sexta pelo banco.

O Credit Suisse, que em junho de 2020 acordou uma parceria estratégica com o Modal, detendo uma participação próxima de 15,8% no banco, vê com bons olhos a união de forças entre as duas empresas.

"O Modal tornou-se um forte parceiro estratégico para o Credit Suisse. Em sua plataforma de investimento Modal Premium, o banco oferece uma gama de produtos exclusivos do Credit Suisse, e prevemos que essa combinação entre ambas as empresas nos proporcionará novas oportunidades para servirmos mais clientes com as ferramentas de que eles necessitam para atingir os seus objetivos financeiros", diz nota assinada por Ivan Monteiro e Marcello Chilov, co-presidentes executivos do Credit Suisse no Brasil.

Apesar da avaliação positiva, em relatório publicado no mês passado, os analistas do banco suíço Marcelo Telles, Bruna Amorim e Daniel Vaz chamam atenção para a queda nos volumes movimentados pelos clientes da XP ao longo do ano passado.

Os volumes de corretagem recuaram cerca de 13% em novembro, na margem, com a participação de mercado do grupo, o que incluía naquele momento XP, Rico e Clear, recuando para 13,9%, nos menores níveis desde meados de 2016, apontam os especialistas.

"A participação de mercado da XP está em declínio constante desde julho. Esse movimento de redução de volumes e participação de mercado parece começar a refletir o impacto das condições macro e de um ambiente de taxas de juros mais elevadas", escrevem os analistas do Credit Suisse.

Segundo Rodrigo Crespi, analista da Guide Investimentos, é provável que a estratégia de aquisição da XP prossiga com novos anúncios durante os próximos meses.

"Em especial, se considerado o cenário de juros mais altos, que se por um lado deve inviabilizar uma série de aberturas de capital na Bolsa de Valores, por outro, pode gerar boas oportunidades de negócios para áreas de bancos de investimento em operações de fusões e aquisições", aponta o especialista.

*

RAIO-X

XP Inc.

Fundação: 2001, em Porto Alegre (RS)

Clientes ativos: 3,3 milhões

Ativos sob custódia: R$ 789 bilhões

Marcas: XP Investimentos, Clear, Rico

Banco Modal

Fundação: 1995, no Rio de Janeiro (RJ)

Clientes ativos: 501,4 mil

Ativos sob custódia: R$ 30,4 bilhões

Marcas: Modalmais, Eleven Financial Research

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos