Mercado abrirá em 5 h 8 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,24 (+0,34%)
     
  • OURO

    1.807,80
    -10,30 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    38.560,34
    -1.571,66 (-3,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    936,57
    -24,33 (-2,53%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.108,11
    +26,39 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    26.139,44
    -96,36 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.986,25
    +33,50 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1192
    -0,0249 (-0,41%)
     

Xô, dívidas! Veja como evitar despesas ao abrir um negócio

·5 minuto de leitura
Nos primeiros cinco meses de 2021, 316,8 mil PMEs encerraram suas atividades no país. Foto: Getty Images.
Nos primeiros cinco meses de 2021, 316,8 mil PMEs encerraram suas atividades no país. Foto: Getty Images.
  • Empresas continuam registrando perdas no faturamento devido a pandemia;

  • Yahoo Finanças preparou uma lista de dicas focando no que empresários e empresarias devem fazer para evitar ter o caixa 'no vermelho';

  • Redução de estoque, estudo de clientes e produtos e controle financeiro estão entre as principais orientações.

Mais de 1 milhão de pequenas e micro empresas (PMEs) foram abertas no Brasil entre janeiro e abril deste ano, segundo pesquisa do SEBRAE. Em 2020, o país registrou 4 milhões de novas micro e pequenas empresas. Nos primeiros cinco meses de 2021, 316,8 mil PMEs encerraram suas atividades no país. 

Ainda segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, em função da crise causada pela covid-19, o percentual de empresas que continua registrando perdas no faturamento, de 79%, continua inalterado desde fevereiro deste ano. Para quem está buscando manter os negócios - ou para quem pensa em iniciar empreendimentos neste segundo semestre - o Yahoo Finanças preparou uma lista de dicas com especialistas, focando no que empresários e empresarias devem fazer para evitar ter o caixa 'no vermelho'.

Leia também:

"Dificilmente o empreendedor terá 100% de certeza de que forma o seu produto vai atingir o cliente esperado, mesmo depois de muitas pesquisas e planejamento. Então, ideal é iniciar com um piloto. Quase sem investimento, para que, com o passar dos dias, você ir direcionando qual mercado vai vender", explica a mentora em finanças Silvia Machado.

1. Fuja de empréstimos

Vemos muito quem começa uma empresa já com um grande empréstimo realizado. É bom inicialmente, mas com o passar do tempo, a pessoa trabalha, trabalha, apenas para pagar os juros do empréstimo realizado;

2. Tenha sempre o controle financeiro bem organizado

Ter exatamente quais são os gastos possibilita uma abordagem realista de como está o empreendimento. Neste item é preciso, analisar e ajustar, se necessário a precificação e também a margem de lucro;

3. Mantenha em dia os débitos

Atrasar impostos ou pagamento de salários também geram mais despesas. Então não atrase. Assim evita ter de arcar com multas;

4. Canais de venda

Entender quais são seus canais de venda e ser muito criativo. “De repente é uma pessoa muito ruim em redes sociais, contrate alguém que faça muito bem isso. Tem de entender quais são os canais e usá-los todos a seu favor”, sugere Silvia. 

5. Entender o produto e cliente

Entender sobre o seu produto e o seu cliente. “Todo produto tem um cliente e todo cliente tem um produto. Qual é o problema? Se eu tenho uma rede de amigos que tem uma característica Y não adianta eu vender X para eles. Ou eu crio um produto Y ou eu insisto no produto X e vou ver onde está o cliente para este produto. É entender o seu produto e quem é o seu cliente”.

Marcelo Ramalho, CEO da fintech Lendico, alerta que as solicitações de empréstimo para a abertura de novos negócios já respondem por 22% das solicitações e tiveram um crescimento de 41% em maio de 2021, na comparação com o mesmo período do ano passado. No entanto, é preciso estudar bem e incluir as parcelas em sua contabilidade para que não caia na inadimplência.

"Caso a situação financeira da sua empresa se descontrole, não se desespere. Estude bem seu fluxo de caixa, repense todos as suas contas, reveja suas receitas e seus gastos, busque possíveis cortes que permite aumentar o capital de giro e, caso seja necessário, busque linhas de créditos mais baratas para honrar seus compromissos e até investir na empresa. Muitas vezes um empréstimo pessoal pode possuir taxas e prazos mais atraentes que o crédito empresarial", avalia o especialista.

6. Pense a médio e longo prazo

O planejamento a médio e longo prazo é uma das dicas mais importantes para uma gestão disciplinada e eficaz. Tenha sempre em vista o fluxo de caixa da sua empresa, uma visão clara das receitas e dos gastos, e saiba onde você quer chegar nos próximos meses. Com esse planejamento detalhado, é possível adotar processos, negociar melhores prazos e taxas, além de prever futuros gargalos que possam afetar a saúde financeira da sua empresa.

7. Otimize os custos

Acompanhe de perto os custos da sua empresa e busque otimizá-los. Muitas vezes, com a correria do dia a dia, muitos empreendedores acabam priorizando apenas as vendas, mas é importante olhar com atenção todos os gastos da empresa. Por isso, acompanhe de perto os gastos, reduza os custos fixos e reduza ao máximo os gastos variáveis. Se precisar comprar um novo equipamento ou de matéria prima a longo prazo, tente parcelar em menos vezes e com baixo juros mais baixos, pois, em caso de atraso, os juros podem elevar a dívida e isso pode atrapalhar o fluxo de caixa da empresa;

8. Diminua seu estoque

Uma forma de otimizar os custos da empresa também pode ser reduzir o estoque, assim é possível gerar liquidez e incrementar o caixa. Porém cuidados com as promoções “avassaladoras”, porque muitas vezes baixar o preço drasticamente apenas para gerar receita pode diminuir sua margem de lucro. Então atente-se para exercer um valor de venda que, pelo menos, cubra os custos de produção;

9. Evite o cheque especial

Apesar de ser um benefício ofertado pelos bancos, o cheque especial deve ser considerado como um “crédito extra” e não um complemento do faturamento da sua empresa. O grande problema de usar essa linha de crédito são os juros que ela oferece, os quais ultrapassam até mesmo o rotativo do cartão de crédito. Sendo assim, a pessoa, ao optar por cobrir as dívidas com o cheque especial acaba, na verdade, ficando ainda mais endividado já que, em um ano, os juros podem chegar a 320%;

10. Cative clientes regulares e conquiste novos

Uma empresa de sucesso zela por sua clientela e, como diz o ditado, “cliente satisfeito sempre volta”. Por isso, cuide bem dos seus clientes regulares com um atendimento personalizado e cativante, sem esquecer também de buscar novos públicos. Investir no bom marketing.

Domingo, 27 de junho, a Organização das Nações Unidas marca como o Dia das Micro, Pequenas e Médias Empresas. O Yahoo Finanças preparou uma série com histórias de vida para mostrar os desafios da profissão no Brasil, além de dicas para quem quer empreender com mais segurança.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos