Mercado abrirá em 47 mins
  • BOVESPA

    108.013,47
    +1.345,81 (+1,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.823,23
    -408,97 (-0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,72
    -0,24 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.837,60
    -5,60 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    42.201,62
    +359,79 (+0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.002,12
    +7,37 (+0,74%)
     
  • S&P500

    4.532,76
    -44,35 (-0,97%)
     
  • DOW JONES

    35.028,65
    -339,82 (-0,96%)
     
  • FTSE

    7.581,60
    -8,06 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    24.952,35
    +824,50 (+3,42%)
     
  • NIKKEI

    27.772,93
    +305,70 (+1,11%)
     
  • NASDAQ

    15.153,50
    +120,00 (+0,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1668
    -0,0006 (-0,01%)
     

Xiaomi registra patente de leitor biométrico “full-screen” para celulares

Sensores biométricos sob a tela já se tornaram recursos comuns em celulares Premium, ou mesmo em intermediários de diversas marcas. Contudo, uma recente patente da Xiaomi indica que a marca trabalha em uma tecnologia de escaneamento que realiza a leitura da digital em qualquer parte do display.

Atualmente, os leitores biométricos sob a tela funcionam quando o usuário coloca o dedão em um determinado ponto do display. No caso, os sensores de reconhecimento ficam localizados em uma região predeterminada.

Conforme as informações, a nova tecnologia da Xiaomi permitirá que o usuário desbloqueie o celular ao tocar em qualquer parte da tela. Além disso, o sensor consegue reconhecer a digital mesmo que o dedo não fosse colocado com precisão no display.

Desenho da patente do leitor biométrico de “tela cheia” desenvolvido pela Xiaomi (Imagem: Reprodução/MySmartPrice)
Desenho da patente do leitor biométrico de “tela cheia” desenvolvido pela Xiaomi (Imagem: Reprodução/MySmartPrice)

Como funcionará o novo sensor biométrico?

Segundo a patente da Xiaomi, a tecnologia de sensor biométrico usa uma série de transmissores de luz LED infravermelha entre a camada touch-screen e a tela AMOLED. Além disso, há receptores de luz infravermelha acima dos transmissores.

Quando a pessoa tocar a tela do celular, o display reconhecerá a posição e o formato da ponta do dedo. Essa leitura será realizada através dos transmissores infravermelhos que emitirão luzes que serão refletidas e detectadas pelos receptores.

Então, os dados captados pelo infravermelho serão usados para mapear os contornos da digital e, em seguida, compará-los com as informações salvas no dispositivo. Dessa maneira, o sistema consegue verificar a identidade do usuário.

Caso o conceito seja implementado pela Xiaomi, as pessoas não precisarão colocar o dedo em uma posição predefinida para desbloquear o aparelho. Um simples toque em qualquer área do display será suficiente para identificar o dono do celular.

Anteriormente, a Huawei iniciou desenvolvimento de um sensor biométrico semelhante ao da Xiaomi (Imagem: Reprodução/Android Authority)
Anteriormente, a Huawei iniciou desenvolvimento de um sensor biométrico semelhante ao da Xiaomi (Imagem: Reprodução/Android Authority)

Projeto semelhante da Huawei

Em agosto de 2020, a Huawei registrou uma patente de tecnologia de leitor biométrico semelhante à apresentada pela Xiaomi. O projeto também sugeria um formato de escaneamento de digitais a partir de qualquer ponto da tela.

Desde então, a companhia nunca mencionou o avanço do desenvolvimento do projeto. Além disso, o conceito pode ter sido engavetado após a fabricante sofrer sanções por parte dos EUA que impedem o acesso a certas tecnologias.

Embora a Xiaomi esteja prometendo um leitor biométrico sob a tela para linha Redmi K50, a novidade não será lançada com os novos celulares. Em fase inicial, o conceito ainda deve demorar alguns anos para chegar aos aparelhos da marca chinesa.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos