Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.340,96
    +2.434,54 (+5,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Xiaomi Pad 5 é flagrado rodando versão ARM do Windows 11

·3 min de leitura

Lançado em agosto, o Xiaomi Pad 5 foi a mais recente aposta da gigante chinesa no segmento de tablets. O aparelho trouxe design premium baseado no Mi 11, atual celular topo de linha da marca, e especificações robustas para a faixa de preço, junto a recursos especiais pensados para competir com a proposta de computador portátil do iPad.

O conceito de computação portátil do modelo atingiu um novo nível nesta semana em um caso curioso — um usuário da plataforma chinesa Bilibili publicou um vídeo mostrando o tablet da Xiaomi rodando o Windows 11, versão mais recente do sistema operacional da Microsoft.

Xiaomi Pad 5 é flagrado rodando Windows 11 ARM

Em sua publicação, o usuário @Sunflower2333 mostra o Xiaomi Pad 5 executando o Windows 11 ARM sem dificuldades. O sistema operacional parece ainda reconhecer a maior parte dos recursos do aparelho, suportando, por exemplo, a resolução total da tela. Sunflower comprova não se tratar de uma máquina virtual ou streaming ao exibir as informações de hardware nas configurações.

Por não ter suporte oficial ao tablet, o Windows detecta apenas uma máquina genérica, mas consegue identificar o chipset do aparelho — o Snapdragon 860, cujo modelo é SM8150. A interação com o dispositivo é curta, mas aparentemente o funcionamento é razoavelmente fluido.

Experimentos como esse não são raros, e já aconteceram em aparelhos ainda mais limitados. Um dos casos mais recentes é o do estudante de engenharia Gustave Monce, que conseguiu portar uma versão de acesso antecipado do Windows 11 para o Lumia 950XL, topo de linha da Nokia com Snapdragon 810 lançado em 2015.

Oficialmente, o suporte da Microsoft a processadores ARM ainda segue bastante limitado, apesar de esforços como a emulação nativa de apps Android terem sido implementados. Especula-se que, com o lançamento de sucesso da família Apple M1, baseada em ARM, a gigante de Redmond deve começar a investir com mais afinco na inciativa.

Dispositivo marca retorno da Xiaomi ao mercado de tablets

O Xiaomi Pad 5 marcou o retorno da empresa ao mercado de tablets, chegando equipado com chipset Snapdragon 860, 6 GB de RAM e 128 GB ou 256 GB de armazenamento. Um dos destaques, a tela IPS LCD de 11 polegadas traz resolução 2,5K de 2560 x 1600 pixels, taxa de atualização de 120 Hz, HDR10, TrueTone e Dolby Vision, com o conjunto sendo alimentado por uma bateria de 8.720 mAh, com recarga rápida de 30 W.

Além da interface MIUI for Pad, o Xiaomi Pad 5 promete oferecer a experiência de um laptop com capa teclado e caneta stylus (Imagem: Xiaomi)
Além da interface MIUI for Pad, o Xiaomi Pad 5 promete oferecer a experiência de um laptop com capa teclado e caneta stylus (Imagem: Xiaomi)

A proposta de computação portátil da Xiaomi se materializou no software e acessórios: o Android 11 recebeu a MIUI for Pad, versão especial da MIUI otimizada para tablets, com recursos pensados para transformar o Pad 5 em uma espécie de notebook. A experiência é complementada por um teclado removível e uma caneta stylus, aos moldes do iPad.

Além do modelo padrão, a gigante chinesa lançou ainda uma variante Pro, até o momento exclusiva do mercado chinês, munida de Snapdragon 870, conectividade 5G, até 8 GB de RAM e carregamento rápido de 67 W. A versão mais simples do tablet chegou ao Brasil em outubro, com preço sugerido de R$ 4.299.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos