Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.230,12
    +95,66 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.046,58
    +616,83 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,36
    -0,16 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.734,30
    +3,80 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    20.291,77
    +688,09 (+3,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    460,91
    +15,47 (+3,47%)
     
  • S&P500

    3.790,93
    +112,50 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    30.316,32
    +825,43 (+2,80%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.616,00
    -24,75 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1553
    -0,0126 (-0,24%)
     

Xiaomi lança moto com motor elétrico e movida a hidrogênio

·1 min de leitura
A Segway Apex H2, da Xiaomi, é a uma moto híbrida, com motor elétrico e a hidrogênio
A Segway Apex H2, da Xiaomi, é a uma moto híbrida, com motor elétrico e a hidrogênio
  • Xiaomi lança primeira motocicleta híbrida, com motor elétrico e a hidrogênio

  • Recarga não é feita com cabo, mas a troca de botijão de hidrogênio

  • Velocidade máxima da moto é de 150 km/h

A Xiaomi vai produzir a Segway Apex H2, a primeira motocicleta híbrida, com motor elétrico e a hidrogênio. Apesar de o projeto ainda ser um conceito, a fabricante chinesa já abriu reservas para compra da moto, que deve custar US$ 10,7 mil (quase R$ 60 mil na cotação atual. As informações são do Olhar Digital.

Leia também:

A nova moto, continuação da linha Segway Apex, tem fonte de alimentação que mistura motor elétrico e endotérmico, unidos por um cilindro, para que haja “maior segurança e eficiência”, segundo a fabricante chinesa.

Recarga e consumo

Para recarregar a moto, não é necessário usar um cabo, mas trocar o botijão de hidrogênio, que é recarregável. A intenção, segundo a Xiaomi, é a redução do tempo de recarga em relação a um veículo elétrico comum.

Moto da Xiaomi vai de 0 a 100 km/h em quatro segundos (Divulgação)
Moto da Xiaomi vai de 0 a 100 km/h em quatro segundos (Divulgação)

Com consumo médio é de um grama de hidrogênio por quilômetro rodado, a motocicleta chega a uma velocidade máxima de 150 km/h e vai de 0 a 100 km/h em quatro segundos. Ela será produzida em dois anos e as primeiras entregas serão feitas em 2023.

Entretanto, se o condutor quiser viajar para mais longe, é necessário um suporte maior ou então um aumento da comercialização de cilindros.