Mercado abrirá em 5 h 53 min
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,86
    +0,88 (+1,19%)
     
  • OURO

    1.757,70
    +6,00 (+0,34%)
     
  • BTC-USD

    43.935,41
    +1.930,84 (+4,60%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.094,54
    -8,52 (-0,77%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    24.213,70
    +21,54 (+0,09%)
     
  • NIKKEI

    30.240,06
    -8,75 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.369,25
    +50,50 (+0,33%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2498
    -0,0058 (-0,09%)
     

Xiaomi dá importante passo em sua divisão de carros elétricos

·2 minuto de leitura

A Xiaomi anunciou há alguns meses que teria uma linha própria de carros elétricos, com investimento de US$ 10 bilhões para os próximos anos. Mas isso não deve parar por aí. A gigante chinesa estaria negociando a compra de parte da divisão de veículos da China Evergrande, uma importante empresa local que passa por dificuldades financeiras e já recebeu avisos do governo para liquidar suas dívidas.

Segundo informações apuradas pela Reuters, a Xiaomi compraria uma parte da divisão de veículos elétricos da Evergrande, tornando o seu próprio setor mais forte e robusto para o desenvolvimento de novos produtos do tipo. Apesar de as fontes da agência de notícias dizerem que as negociações estão em estágio inicial, a Evergrande tem pressa para angariar recursos, já que seu carro-chefe, que são os negócios imobiliários, está em forte queda.

Como isso beneficia a Xiaomi?

A China Evergrande tem uma robusta divisão de carros elétricos sob a marca Hengchi, famosa no país asiático. No início do ano, a empresa anunciou nove modelos durante o Salão do Automóvel de Xangai e eles começariam a ser entregues em 2022. Com a crise financeira, a empresa teve de começar a correr atrás de investidores e vender ativos para poder saldar suas dívidas, incluindo parte de seu setor imobiliário, que corre o risco de entrar em uma bolha em âmbito nacional.

Possível modelo de carro elétrico da Xiaomi (Imagem: Divulgação/Xiaomi)
Possível modelo de carro elétrico da Xiaomi (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Ao comprar parte da divisão de automóveis elétricos, a Xiaomi poderia usufruir de todo o aparato mercadológico da Evergrande para alavancar seu próprio negócio de carro elétrico. Segundo a Reuters, a porcentagem seria de 2,66%, com preço estimado em US$ 1,36 bilhão — pouco, se levarmos em conta o poderio financeiro da gigante da tecnologia.

O negócio, além de estar em fase inicial, depende da aprovação de reguladores estatais. Mas, com a crise envolvendo a Evergrande e o próprio aviso de Pequim para que as dívidas fossem liquidadas, devemos ter o negócio fechado em breve.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos