Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.235,76
    +1.584,71 (+1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.808,21
    +566,40 (+1,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,63
    +1,13 (+1,25%)
     
  • OURO

    1.807,20
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    23.748,04
    +611,87 (+2,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    559,85
    +28,63 (+5,39%)
     
  • S&P500

    4.210,24
    +87,77 (+2,13%)
     
  • DOW JONES

    33.309,51
    +535,10 (+1,63%)
     
  • FTSE

    7.507,11
    +18,96 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.390,25
    +358,75 (+2,75%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2381
    +0,0054 (+0,10%)
     

Xiaomi 12 Pro pode repetir desempenho do Snapdragon 8 Gen 1 visto no Edge X30

·2 min de leitura

Quando o Dimensity 9000 foi anunciado, ele surpreendeu o mercado e aumentou a pressão em cima da Qualcomm. A empresa, porém, conseguiu responder à altura com o Snapdragon 8 Gen 1.

O primeiro celular com o chip é o Motorola Edge X30, que já aponta o poder de fogo da nova plataforma. Mas, claro, alguns consumidores têm suas preferências de marca, e com isso esperam o lançamento de mais fabricantes para ver como o chip se sai. A boa notícia é que a série Xiaomi 12 já foi anunciada com o SoC, e pode oferecer desempenho similar ao produto da Lenovo.

Imagem do Snapdragon 8 Gen 1 (Imagem: Divulgação/Motorola)
Imagem do Snapdragon 8 Gen 1 (Imagem: Divulgação/Motorola)

Antes de tudo é necessário entender que, a depender de otimizações sistêmicas, projeto de dissipação de calor e drivers, o desempenho de um mesmo chip pode variar de acordo com o celular. Por isso, tem quem espere uma plataforma ser lançada por uma ou outra fabricante de smartphone. Porém, o que está sendo apontado é que mesmo melhorias de firmware e integração de hardware não estão levando o Snapdragon 8 Gen 1 além do que já estamos vendo.

Assim, otimizações promovidas pela Xiaomi estariam deixando o chip com o mesmo desempenho já visto no Motorola Edge X30. Isso não é ruim, já que falamos de um SoC premium muito capaz. Mas o que está sendo apontado é que alguns descuidos da Qualcomm, como o de gerenciamento energético, estariam sendo os responsáveis por não permitirem que as marcas consigam elevar o potencial do Snapdragon 8 Gen 1.

Culpa da Qualcomm?

Dessa forma, os flagships que usarem o chip da Qualcomm em 2022 deverão ficar bem alinhados em performance, menos aqueles que não tiverem sistemas bem otimizados e, assim, gerando sobrecargas desnecessárias para o SoC.

Xiaomi 12 Pro, o mais avançado flagship da chinesa até agora (Imagem: Divulgação/Xiaomi)
Xiaomi 12 Pro, o mais avançado flagship da chinesa até agora (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

Claro, um top de linha se destaca bem mais que pelo seu poder de fogo. O próprio Snapdragon 8 Gen 1 traz uma série de novidades para fotografia, por exemplo. E aproveitá-las ao máximo vai depender dos engenheiros de cada fabricante Android.

Vale lembrar, o Galaxy S22 deve ser um dos próximos na fila do chip. A ser anunciado entre o final de janeiro e o início de fevereiro, a série deve alternar entre o componente da Qualcomm e o Exynos 2200 da própria Samsung.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos