Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.829,27
    +902,93 (+0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.771,12
    -56,81 (-0,11%)
     
  • PETROLEO CRU

    69,20
    -0,76 (-1,09%)
     
  • OURO

    1.981,00
    -14,90 (-0,75%)
     
  • Bitcoin USD

    27.516,37
    -648,28 (-2,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    597,33
    -21,06 (-3,41%)
     
  • S&P500

    3.970,99
    +22,27 (+0,56%)
     
  • DOW JONES

    32.237,53
    +132,28 (+0,41%)
     
  • FTSE

    7.405,45
    -94,15 (-1,26%)
     
  • HANG SENG

    19.915,68
    -133,96 (-0,67%)
     
  • NIKKEI

    27.385,25
    -34,36 (-0,13%)
     
  • NASDAQ

    12.922,75
    +68,75 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6520
    -0,0780 (-1,36%)
     

Xiaomi é denunciada por suposto uso indevido de tecnologias hápticas

Após se ver no meio de uma disputa com a conterrânea Huawei por patentes de redes e tecnologias de câmera, a Xiaomi terá que enfrentar disputas judiciais envolvendo o uso de sua tecnologia CyberEngine de motores hápticos. As primeiras ações foram movidas por uma empresa chamada Immersion, que alega o uso indevido dos componentes em diversos smartphones.

Tecnologia CyberEngine foi apresentada pela Xiaomi no ano passado (Imagem: Divulgação/Xiaomi)
Tecnologia CyberEngine foi apresentada pela Xiaomi no ano passado (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

De acordo com a acusação, a Xiaomi teria construído estas peças com base em exploração ilegal de soluções desenvolvidas pela Immersion.

A documentação faz menção a alguns modelos específicos, como o Xiaomi 12. Além dele, o Xiaomi 12T Pro (ou Redmi K50 Gaming) também foi anunciado com o CyberEngine.

Na época em que a tecnologia foi apresentada, a Xiaomi a definiu como “o sistema de vibração mais potente do mercado”. Além de oferecer uma resposta tátil mais satisfatória em funções típicas do dia a dia, a tecnologia também prometeu maior imersividade em jogos mobile.

Xiaomi pode ter vendas paralisadas

Tecnologia está presente no Redmi K50 Gaming (Imagem: Divulgação/Xiaomi)
Tecnologia está presente no Redmi K50 Gaming (Imagem: Divulgação/Xiaomi)

As ações foram movimentadas em diferentes países, como França, Alemanha e Índia — agora, cabe às cortes de cada local julgar e definir qual será a punição à Xiaomi, se aplicável.

No pior dos casos para a marca chinesa, ela pode ter suas vendas completamente paralisadas nesses mercados — ao menos dos produtos envolvidos na disputa judicial. É algo parecido com o que aconteceu com a OPPO/OnePlus no ano passado, quando a Nokia a processou por uso indevido de patentes relacionadas a tecnologias de conectividade móvel.

Contudo, este não é o único desfecho possível. Dependendo de como forem os próximos passos, as duas empresas podem entrar em uma negociação com efeitos mais brandos, restando esperarmos pelos próximos capítulos para ver como a situação irá se desenrolar.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: