Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.280,98
    +2.750,59 (+5,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Xavi comenta final da Emir Cup, que irá inaugurar estádio da Copa de 22: 'Vai ter uma atmosfera muito boa'

·3 min de leitura


Na sexta-feira, Al Sadd e Al Rayyan disputam a final da Emir Cup, torneio nacional que colocará frente a frente o time treinado pelo espanhol Xavi Hernández contra a equipe comandada pelo francês Laurent Blanc. O jogo marcará a inauguração do Al Thumama, estádio construído para a Copa do Mundo de 2022. Em entrevista, Xavi falou sobre a decisão da competição.

- Que impressões te causou o estádio onde se jogará a final da Emir Cup?

XAVI: É uma maravilha. Para o espetáculo, para os torcedores, para os jogadores, para mim como treinador... Já estamos vendo. Isso é top. A infraestrutura é excelente e estamos orgulhosos de poder inaugurar estádios deste tipo, como já fizemos anteriormente com o Khalifa, Al Janoub e Education City, e agora temos o Al Thumama, a final da Emir Cup, contra o Al-Rayyan , e com um significado muito especial para os catarianos porque tem o formato do gahfiya da cabeça. É uma honra e um orgulho inaugurar este estádio, e estou contente em participar de mais uma final da Emir Cup, especialmente para a população local que acompanha time.

- O que significa para o Al Sadd estar novamente nesta final?

XAVI: Para nós é muito importante, claro que para o Al Rayyan imagino que também seja, é a competição máxima do país e significa muito para os qatari. Estamos nos preparando bem. Começamos bem a temporada, vencemos os cinco jogos da liga, e agora estamos esperando a chegada dos jogadores da Seleção para nos prepararmos bem. É preciso ser melhor que o Al-Rayyan, para vencer o jogo, para controlar as emoções, porque o estádio vai ficar cheio e pode haver muito nervosismo e muita tensão, muito animados em poder jogar esta final. Não esqueçamos que é um clássico, que é como um Barça - Madrid, e vai ter uma atmosfera muito boa.

- Quão especial será ganhar esta Copa?

XAVI: É o objetivo principal. Somos o Al Sadd e somos um clube grande, mas vai ser difícil, porque eles têm um grande treinador que é o Laurent Blanc, e muitos jogadores com experiência como Yacine Bahimi, James Rodríguez, Nzonzi Boli, muitos jogadores locais importantes... Vai ser muito difícil. Acredito que começamos como favoritos porque ganhamos das últimas vezes, mas é preciso demonstrar isso. É uma final e é necessário controlar o nervosismo, as emoções e a tensão, e a partir daí jogar. E ganhar. Não vai ser fácil.

- Que valor você atribui à contribuição de jogadores e treinadores estrangeiros para o desenvolvimento do futebol no Qatar?

XAVI: Os treinadores de fora são muito importantes para trazer temas táticos. Eu acredito que a liga melhorou muito. Nos últimos 2 ou 3 anos houveram treinadores importantes no país que melhoram a qualidade dos jogadores locais. E a chegada de jogadores como Cazorla, Gabi, Brahimi, James Rodríguez agora... são jogadores que vão fazer a diferença, e também agregar sua qualidade ao jogo coletivo do time. A chegada deste tipo de jogadores é muito boa para o país no geral e não apenas para os clubes, para o Al-Rayyan ou para o Al Sadd, mas para o organograma do futebol do Qatar, porque no final das contas todo mundo melhora e todo mundo aprende destes jogadores.

- Como você enxerga a infraestrutura do futebol do Qatar hoje, a um pouco mais de um ano da Copa do Mundo, comparado a quando você chegou como jogador ao país?

XAVI: A mudança na infraestrutura é muito perceptível. Eu vim em 2015 para ser jogador do Al Sadd e agora, seis anos depois, o país mudou. É um novo país. Em shoppings, hotéis, restaurantes, os estádios já praticamente prontos... Você já sente um pouco a emoção das pessoas, que agora já vêm mais aos estádios, ao futebol, para curtir um pouco mais. Falta pouco mais de um ano para o início da Copa do Mundo e já se respira um pouco a atmofesra do futebol. Tem cada vez mais gente do futebol aqui, os estádios podem estar lotados, esta Emir Cup já pode estar cheia de espectadores, estou vendo a empolgação das pessoas na preparação para a Copa do Mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos