Mercado abrirá em 6 h 35 min

Witzel rebate Bolsonaro com mesma resposta dada a Flávio sobre acusações envolvendo filha de juiz

Cristian Klein

Tanto o presidente quanto seu filho criticaram a suposta falta de imparcialidade de Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio A assessoria de imprensa do Palácio Guanabara afirmou nesta sexta-feira que o posicionamento do governador Wilson Witzel (PSC) em relação às declarações do presidente Jair Bolsonaro é o mesmo divulgado na noite da última quinta-feira depois que o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) postou um vídeo contendo acusações com teor praticamente idêntico.

Fernando Frazão/Agência Brasil

Tanto o pai quanto o filho criticaram a suposta falta de imparcialidade do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Rio, que tem uma filha lotada no gabinete de Witzel, desafeto político da família Bolsonaro. Itabaiana autorizou pedido do Ministério Público (MP) do Rio para se fazer busca e apreensão em endereços de pessoas ligadas a Flávio Bolsonaro, na quarta-feira.

Irritado com pergunta sobre filho, Bolsonaro ataca jornalistas

Flávio vai ao Supremo para tentar barrar inquérito

MP: Contas de chefe de milícia abasteceram rachadinha

O senador é suspeito pelo MP de ser o líder de uma organização criminosa que praticou um esquema de peculato e lavagem de dinheiro entre 2007 e 2018, por meio da apropriação de parte de salários dos servidores lotados em gabinete quando Flávio era deputado na Assembleia Legislativa do Rio.

Flávio e Jair Bolsonaro reagiram à deflagração da operação de quarta atacando Itabaiana e Witzel, insinuando ainda que a filha do juiz quase não aparece para trabalhar - numa situação semelhante à de um funcionário fantasma, acusação que o MP faz em relação aos ex-servidores empregados por Flávio na Alerj.

Na nota divulgada na quinta-feira, a assessoria de Witzel afirmou que a “advogada Natália Menescal Braga Itabaiana Nicolau trabalha hoje na Casa Civil do Estado como Secretária II“ e que, ”no cargo, é responsável pelo fichamento de processos, elaboração de ofícios, atendimento, organização da agenda e arquivos, entre outros serviços relevantes”.

Caso Flávio desafia discurso anticorrupção de Bolsonaro

De acordo com a nota, “a profissional é pós-graduada em processo civil e direito civil e trabalhou em escritórios de advocacia, tendo, portanto, vasta experiência na área cível e de direito público”. “Vale ressaltar que a nomeação da advogada ocorreu 15 dias antes da distribuição eletrônica do processo de Flávio Bolsonaro ao juízo de direito da 27ª Vara Criminal, onde atua o pai da servidora”, conclui a nota.

Num segundo texto, o Palácio Guanabara acrescentou: “O governador Wilson Witzel respeita as instituições, não interfere no trabalho de investigação policial, nem sobre o Ministério Público“.