Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.727,09
    +3.162,42 (+8,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Windows 11 rodará apps do Android nativamente

·2 minuto de leitura
Windows 11 rodará apps do Android nativamente
Windows 11 rodará apps do Android nativamente

Entre as novidades no anúncio do Windows 11 nesta quinta-feira (24/6) está que o sistema operacional da Microsoft agora oferecerá suporte nativo a apps do Android. Trata-se de uma relação muito próxima à dos Macs baseados no M1 da Apple, que rodam aplicativos do iOS sem modificações do desenvolvedor no software.

De acordo com o diretor de produtos da Microsoft, Panos Panay, a integração entre Android e Windows será “perfeita e suave”. Pelo que foi explicado no lançamento, o Windows 11 não precisará mais sincronizar apps do Android com o PC. Em vez disso, os apps serão executados com o auxílio da tecnologia Bridge, da Intel, “um pós-compilador de tempo de execução que permite que apps sejam executados nativamente em dispositivos baseados na arquitetura x86, incluindo o Windows”, como explica a fabricante de processadores.

Segundo a Intel, a tecnologia Bridge faz parte da sua atual estratégia de XPU, que não se limita apenas a trazer apps Android para o Windows 11. A Microsoft também esclareceu que a tecnologia funcionará não apenas em processadores fabricados pela Intel, como os da AMD.

Integração esperada desde longa data

Embora produza ferramentas de integração com Android e iOS, a Microsoft há tempos sofre com a falta de interesse de desenvolvedores de apps para o Windows. A história já é conhecida: a empresa de Bill Gates perdeu o bonde dos smartphones e, ao longo dos anos, viu a confiança na plataforma diminuir à medida que os desenvolvedores voltaram sua atenção para os sistemas operacionais de Apple e Google.

Com o Windows 10, lançado em 2015, a Microsoft assumiu o revés e mudou sua estratégia, trazendo um pouco da experiência do smartphone para o PC. Assim, surgiu o app Seu Telefone, que permite ao usuário emparelhar o dispositivo Android com PCs e notebooks Windows. Entre outras coisas, é possível subir fotos e mensagens do telefone para o ambiente do desktop, assim como verificar notificações de vários apps no computador.

Agora, com o Windows 11, a Microsoft claramente quer avançar o processo de assimilação. Na prática, a ideia é que o usuário seja capaz de fazer as mesmas coisas no Android e no Windows — um grande exemplo disso é a possibilidade de trazer jogos de celulares para o notebook e a empresa americana não é boba diante da ascensão desta indústria nos últimos anos. A integração de apps do Android com o Windows 11 também significa um maior leque de ferramentas para produtividade e criação de conteúdo para os que trabalham nas duas plataformas.

Via Engadget

Imagem: Mitesh/Unsplash/CC

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos