Mercado fechará em 2 h 7 min
  • BOVESPA

    108.165,59
    +228,48 (+0,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.468,64
    -421,95 (-0,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,66
    +1,35 (+1,62%)
     
  • OURO

    1.847,30
    +5,60 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    36.916,70
    +2.883,50 (+8,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    839,01
    +18,42 (+2,25%)
     
  • S&P500

    4.328,12
    -82,01 (-1,86%)
     
  • DOW JONES

    34.008,01
    -356,49 (-1,04%)
     
  • FTSE

    7.371,46
    +74,31 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.041,50
    -459,50 (-3,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1863
    -0,0424 (-0,68%)
     

Williams, do Fed de NY, diz que redução de estímulos mais rápida cria possibilidade de alta de juro em 2022

·1 min de leitura

(Reuters) - Autoridades do Federal Reserve estão convictas de que trazer a inflação para sua meta de 2% e encerrar o corte de estímulos em março lhes dará maior "opcionalidade" no próximo ano para elevar os juros, caso necessário, disse o presidente do Fed de Nova York, John Williams, nesta sexta-feira.

"Estamos encerrando o programa em breve, ele estará finalizado em meados de março. E acho que é exatamente a coisa certa a se fazer", disse Williams durante uma entrevista à CNBC.

"Na verdade, trata-se de colocar nossa postura de política monetária em uma boa posição e também, obviamente, de criar a opcionalidade em algum momento do próximo ano, provavelmente, para de fato começar a aumentar a faixa alvo das Fed Funds."

(Por Jonnelle Marte)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos