Mercado abrirá em 5 h 58 min

Williams, do Fed, diz que mais aumentos de juros são necessários para conter inflação

Presidente do Fed de Nova York, John Williams

Por Michael S. Derby

(Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Nova York, John Williams, disse nesta sexta-feira que o banco central norte-americano tem mais trabalho a fazer para reduzir a inflação e reequilibrar a atividade econômica de maneira mais sustentável, e alertou que a taxa de desemprego provavelmente aumentará como parte desse processo.

"Precisamos elevar ainda mais a taxa de juros e basicamente levá-la para acima de onde estiver a inflação", disse Williams em comentários antes de uma reunião realizada na SUNY Buffalo State em Buffalo, Nova York. "Isso ajudará a restringir a demanda e a oferta e fazer isso de uma forma que reduza a inflação rapidamente."

Williams, que também atua como vice-chair do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), falou após a divulgação de dados de emprego dos Estados Unidos, que mostraram a criação de 263 mil vagas no mês passado na economia dos EUA, contra 315 mil em agosto. A taxa de desemprego caiu para 3,5% em setembro, ante 3,7% em agosto.

Williams afirmou que a economia norte-americana tem "um mercado de trabalho muito forte, o que é bom, exceto pela inflação muito alta", que está sendo combatida pelos ajustes dos custos dos empréstimos por parte do banco central. Ele acrescentou que, com o tempo, "você provavelmente verá o mercado de trabalho, você sabe, talvez não tão forte em termos de crescimento de empregos quanto temos visto".

Ele acrescentou que há uma desaceleração econômica em curso, especialmente no mercado imobiliário. Mas ele afirmou não esperar que a economia entre em uma contração, um medo comum nos mercados financeiros.

"Vejo um crescimento positivo no próximo ano" e "vejo a taxa de desemprego subindo um pouco, porém, mais importante, vejo a inflação significativamente em queda no próximo ano", disse Williams.

(Reportagem de Michael S. Derby)