Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,22
    +1,47 (+2,46%)
     
  • OURO

    1.713,40
    -20,20 (-1,17%)
     
  • BTC-USD

    50.976,59
    +3.341,42 (+7,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.019,04
    +30,94 (+3,13%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.675,47
    +61,72 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    12.673,75
    -381,50 (-2,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7782
    -0,0839 (-1,22%)
     

WHG traz ex-Verde como economista-chefe e mais quatro executivos

Felipe Marques
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Wealth High Governance, empresa de private banking criada por um time de ex-executivos do Credit Suisse, contratou Fernando Fenolio como economista-chefe de sua gestora de recursos, além de reforçar o time responsável por investir em ativos alternativos.

Fenolio, que foi responsável pela análise de economia internacional para o fundo Verde até 2016, já está trabalhando na WHG desde o começo de fevereiro, segundo comunicado enviado pela empresa. Ele vai se reportar ao diretor de investimentos, Andrew Reider. Mais recentemente, Fenolio trabalhava na BW Gestão de Investimentos, responsável pelos investimentos da família Moreira Salles.

A WHG, que quer chegar a 70 funcionários até o fim do ano, fez outras contratações. Alexandre Noguchi será o responsável pela área de “middle office”. Anteriormente, ele atuava em gestão de riscos na Verde Asset Management, a gestora de Luis Stuhlberger que é responsável pelo fundo Verde.

Já da RB Capital vieram Mayra Pádua, Márcio Rocha e Thiago Lima. Advogada, Pádua vai comandar a estruturação de operações e de veículos de investimentos para a gestora da WHG. Rocha ficará a frente do time de investimentos imobiliários da WHG, área em que já atuava na RB Capital. Por fim, Lima será o responsável pela área de investimentos em infraestrutura. Além da RB Capital, Lima já foi executivo da Vale.

Fundada por um time de ex-executivos de gestão de fortunas do Credit Suisse, a WHG tem como sócia a XP Inc., que detém 49,9% da empresa. A meta é atingir R$ 20 bilhões em fortunas sob gestão até o final de 2021, disse Reider em entrevista em janeiro.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.