Mercado abrirá em 8 mins
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,21 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,09
    -0,86 (-1,16%)
     
  • OURO

    1.812,10
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    39.349,30
    -2.306,29 (-5,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    960,41
    +10,51 (+1,11%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,03 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.068,60
    +36,30 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    26.235,80
    +274,77 (+1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.781,02
    +497,43 (+1,82%)
     
  • NASDAQ

    15.021,75
    +66,00 (+0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1038
    -0,0842 (-1,36%)
     

WhatsApp Pay agora pode ser usado por clientes da Neon

·2 minuto de leitura
Banco Neon. Foto: Divulgação.
Banco Neon. Foto: Divulgação.
  • Clientes do banco digital poderão cadastrar o cartão de débito para realizar transações por meio da plataforma de pagamentos do aplicativo de mensagens a partir de hoje;

  • Restritas a pessoas físicas por enquanto, as transações são totalmente gratuitas;

  • Usuário deverá cadastrar o cartão de débito Neon no WhatsApp e selecionar a opção "Pagamento";

O banco digital Neon anunciou, nesta quinta-feira (22/07), que seus clientes pessoas físicas já podem usar o cartão de débito para realizar transações totalmente gratuitas pelo WhatsApp Pay, responsável por habilitá-las. A transferência para contas de pessoas jurídicas não será possível, momentaneamente, em detrimento de uma restrição imposta pelo Banco Central (BC) na regulamentação dos pagamentos pelo aplicativo.

O diretor da Neon, Marcelo Haddad, explicou que o banco pretende possibilitar as operações a ambos perfis de clientes. “A funcionalidade PJ não foi liberada pelo BC por enquanto. O braço de contas de empresas no banco é populado principalmente por microempreendedores e pequenas empresas”. Haddad diz ainda que esse público não é bem atendido pelos grandes bancos e merece atenção frente à importância que as vendas pela internet ganharam nos pequenos negócios.

Leia também:

As transações terão um processo de autenticação diferente, chamado de app to app, isto é, os clientes do banco que quiserem usar a ferramenta deverão cadastrar o cartão de débito Neon no WhatsApp, selecionar a opção "Pagamento" na conversa com o contato que receberá o dinheiro, informar os valores e realizar a confirmação. Logo após, o app de mensagens direcionará o adepto para um ambiente da Neon no WhatsApp aplicativo, onde haverá uma autenticação por senha ou biometria.

"O processo app to app requer um desenvolvimento mais complexo, mas dá ao cliente uma camada extra de segurança para realizar as transações pelo WhatsApp", conta o executivo. Ele afirma ainda que nesse primeiro momento as operações atenderão a limitações. Os clientes poderão movimentar até 1.000 reais por dia ou até 5.000 por mês, no total, e haverá um limite máximo de 20 transações diárias.

Os responsáveis pela Neon lembram que o aplicativo está presente em 99% dos smartphones do país, e que 93% dos usuários acessam a plataforma de mensagens diariamente. Por ser uma ferramenta diária e de fácil uso, o WhatsApp pode se transformar em um importante aliado da indústria de pagamentos.

"O Pix trouxe um grande avanço, mas nem sempre ele é a solução mais simples para o cliente. Hoje, quando uma pessoa precisa fazer uma transferência para a outra ela vai pedir o número da chave de quem vai receber, copiar esses dados, levar para o aplicativo do banco e só então fazer a transferência. Com o WhatsApp Pay tudo isso fica concentrado em um ambiente", destaca a vice-presidente de marketing da Neon, Paula Martinelli.

As informações são da revista Exame Invest.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos