Mercado abrirá em 3 h 31 min

WhatsApp ganha vantagem em processo contra empresa israelense de espionagem

Rafael Arbulu

Um processo movido pelo WhatsApp contra a israelense NSO Group acaba de ficar mais favorável à empresa de propriedade do Facebook. Segundo o Techradar, o grupo corporativo de Israel não compareceu — nem deu motivo para justificar a ausência — a uma audiência primária da ação judicial, causando uma má impressão a juízes e juristas envolvidos.

O WhatsApp processou o NSO Group em outubro de 2019, após se dar conta de que a empresa tirou proveito de uma brecha de segurança para espionar centenas de usuários do app de mensagens — a falha em questão foi rapidamente resolvida com uma atualização, na época.

Durante a documentação do processo, representantes do NSO Group disseram que a empresa iria rebater as acusações legalmente, mas a sua ausência nessa primeira audiência acabou estabelecendo um vantagem, ainda que pequena, ao WhatsApp.

WhatsApp moveu processo contra empresa israelente de espionagem, obtendo uma vantagem primária quando a acusada não apareceu em audiência

O Facebook, dono do WhatsApp, acusou o NSO Group de violar Ato Americano de Abuso e Fraude via Computador (US Computer Fraud and Abuse Act), afirmando no documento que a empresa israelense conseguiu “sequestrar” o app instalado de 1,3 mil usuários, incluindo alguns jornalistas e ativistas dos direitos humanos. A papelada também indica que o Facebook tentou entregar o processo ao NSO Group diversas vezes, incluindo e-mails enviados aos gerentes e diretores, cópias físicas do processo enviadas ao board de diretores via FedEx, e até uma cópia física entregue pessoalmente à esposa de um dos co-fundadores da empresa.

O NSO Group nega que a documentação tenha sido entregue em qualquer ocasião. Apesar dessa má primeira impressão causada pela ausência do grupo na audiência primária, especialistas indicam que um julgamento apropriado ainda está bem longe de acontecer, e esperam que a empresa israelense se apresente em ocasiões futuras.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: