Mercado fechado

WhatsApp deve passar a ter pagamentos através do Facebook Pay

Wagner Wakka

Uma nova atualização da versão beta do WhatsApp mostra que o app deve passar a integrar o Facebook Pay em breve. O serviço é semelhante a uma carteira digital pela qual você pode fazer pagamentos por aplicativo, sobretudo com mira em empresas digitais.

A informação vem do site WABetaInfo, conhecido já por antecipar informações de funcionalidades do WhatsApp. O site analisou a última atualização (2.19.260) beta do programa. Até o momento, a movimentação está relacionada apenas a pagamentos no México, segundo o site.

A opção aparece em uma nova aba em que é possível adicionar métodos de pagamento dentro do WhatsApp. O mesmo site já tinha informado que a empresa do software estaria trabalhando em um sistema de pagamentos chamado WhatsApp Payments, a ser lançado em alguns mercados emergentes, entre eles, Índia, México e Brasil.

Facebook Pay aparece integrado ao WhatsApp (Foto: WABetaInfo)

Contudo, agora, a perspectiva é de que a companhia tenha abandonado a ideia de criar mais um nome para o serviço e deva unificar tudo sob o guarda-chuva do Facebook Pay.

A empresa também pode já preparar o caminho para o lançamento da Libra, a sua criptomoeda integrada aos serviços que deve chegar no ano que vem. Assim, usuários poderiam usar o sistema de pagamentos para também usar a Libra no Messenger, Facebook e WhatsApp.

Junto disso, a pesquisadora Jane Wong, também já habituada em antecipar informações da indústria, descobriu que já há uma página de transações do Facebook Pay no aplicativo da rede social para smartphones. Com ele, é possível já enviar dinheiro pelo Messenger, pagar compras no Marketplace e fazer pagamentos de assinaturas.


Além disso, a opção de pagamento pela rede social também já começou a aparecer para usuários na Itália. O serviço coloca a opção de adicionar cartões de crédito com Visa e Master para pagamentos dentro do Facebook.

Facebook Pay aparece já para usuários na Itália (Foto: Mobile World)

Até o momento, ainda não há informações de quando (ou se) o serviço chegará a usuários brasileiros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: