Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,87
    -0,20 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.803,90
    +2,10 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    37.981,20
    +3.988,61 (+11,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    904,33
    +110,60 (+13,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    27.895,28
    +347,28 (+1,26%)
     
  • NASDAQ

    15.087,25
    -10,75 (-0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1187
    -0,0029 (-0,05%)
     

WeChat remove contas LGBT de universidades da China

·2 minuto de leitura
WeChat remove contas LGBT de universidades da China
WeChat remove contas LGBT de universidades da China

O aplicativo chinês WeChat está excluindo contas LGBT comandadas por estudantes de universidades da China. Segundo a plataforma, esses perfis violaram regras de uso do serviço.

De acordo com a Reuters, o conteúdo dessas páginas foi totalmente removido e o acesso bloqueado. As remoções ocorreram na última terça (6). Os alunos estão com medo de uma onda de repressão contra o movimento LGBT no país e que o WeChat seja apenas o começo.

“Eles nos censuraram sem qualquer aviso. Todos nós fomos dizimados”, disse um dos administradores de uma das contas. Ao tentar acessar o perfil, aparece uma mensagem afirmando que aquela conta foi bloqueada por violar os “regulamentos sobre a gestão de contas que oferecem serviço de informação pública na internet chinesa”.

WeChat remove contas LGBT

Os administradores disseram que não receberam nenhum tipo de aviso prévio do WeChat e que as contas eram usadas apenas para grupos da comunidade LGBT, sem nenhum conteúdo que viola os termos de uso do aplicativo.

Leia mais:

Muitas dessas contas eram de clubes LGBT ligados com universidades do país e outros eram simplesmente grupos para falar sobe o tema. Alguns desses perfis estavam ativos há vários anos.

Em entrevista para CNN, uma jovem que faz parte de alguns desses grupos disse que as discussões sobre sexualidade passaram a ser reprimidas nas universidades. Segundo ela, há alguns anos era possível falar sobre o tema abertamente a até realizar palestras sobre. Mas agora isso passou a ficar mais restrito.

“Nos últimos anos, o nosso objetivo é simplesmente sobreviver, continuar a dar apoio aos estudantes LGBT e proporcionar-lhes acolhimento. Basicamente, já não nos envolvemos em nenhuma defesa radical”, explicou.

O WeChat não se pronunciou sobre a remoção de contas LGBT da rede social na China.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos