Mercado fechado
  • BOVESPA

    130.091,08
    -116,88 (-0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.908,18
    -121,36 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,45
    +0,33 (+0,46%)
     
  • OURO

    1.857,00
    +0,60 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    40.016,54
    -604,23 (-1,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    994,75
    -15,86 (-1,57%)
     
  • S&P500

    4.246,59
    -8,56 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    34.299,33
    -94,42 (-0,27%)
     
  • FTSE

    7.172,48
    +25,80 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    28.638,53
    -203,60 (-0,71%)
     
  • NIKKEI

    29.387,01
    -54,29 (-0,18%)
     
  • NASDAQ

    14.044,00
    +13,75 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1147
    -0,0032 (-0,05%)
     

Warner e Discovery anunciam superconglomerado para vencer a Netflix e o Disney+

·3 minuto de leitura

A AT&T anunciou nesta segunda-feira (17) um acordo em que unificará a sua divisão de entretenimento, a WarnerMedia, com a Discovery Inc. Com isso, em um futuro próximo, o usuário deve ter à disposição uma espécie de "Poderoso Megazord" dos serviços de streaming, com o portfólio de marcas poderosas, como os estúdios da Warner Bros, DC Films, DC Comics, HBO, TNT, TBS, CNN, Discovery Kids, TCL, Food Network, Animal Planet, entre outros.

O objetivo do acordo é criar um competidor a altura dos líderes do mercado de streaming, focando, principalmente, na Netflix e Disney+. Em comunicado, a AT&T declara que a união visa "criar uma empresa autônoma pela combinação de operações para formar um novo líder global em entretenimento". O presidente e CEO da Discovery, David Zaslav, assume o comando do empreendimento, liderando executivos de ambas as empresas em funções-chave. Além disso, a operação desta nova companhia será independente.

O novo grupo de mídia está avaliado em US$ 150 bilhões (quase R$ 800 bilhões na cotação de hoje). Nos termos do negócio, os acionistas da AT&T ficarão a participação majoritária da companhia — 71% das ações — enquanto os acionistas da Discovery terão 29%. Com isso, a empresa de telecomunicações norte-americana deve receber US$ 43 bilhões, o que inclui dinheiro, títulos de dívida e retenção de outras dívidas da WarnerMedia. Ambas as empresas afirmaram esperar que o acordo entre vigor em meados de 2022.

(Imagem: Divulgação / AT&T)
(Imagem: Divulgação / AT&T)

O que isso muda?

A iniciativa não prejudica o Discovery+ ou o HBO Max, muito pelo contrário — em nota divulgada à imprensa, a AT&T garante que "a transação combinará o histórico acervo de conteúdo popular da WarnerMedia com a pegada global da Discovery". A nova organização garante que focará na expansão do serviço ao consumidor e investirá em mais conteúdos originais para o serviço de streaming, além de aprimorar as opções de programação na TV paga.

Com a fusão, conteúdos e produções dos canais e estúdios HBO, Warner Bros, Discovery, DC Comics, CNN, Cartoon Network, HGTV, Food Network, Turner Networks, TNT, TBS, Eurosport, Magnolia, TLC, Animal Planet, ID entre outros farão parte de um único acervo, com quase 200 mil horas de programação. Entre os objetivos com conteúdos originais dessas marcas, há o interesse em produzir mais obras de não-ficção e criar mais oportunidades para contadores de histórias sub-representados e produtores independentes.

(Imagem: Divulgação / AT&T)
(Imagem: Divulgação / AT&T)

“Este acordo une dois líderes de entretenimento com forças de conteúdo complementar e posiciona a nova empresa como uma das principais plataformas globais de streaming direto ao consumidor", declarou John Stankey, diretor executivo da AT&T, em nota divulgada.

Fusão turbina deixa receita do novo grupo à frente da Netflix

WarnerMedia e Discovery, juntas, registraram US$ 41 bilhões em receitas, com lucro operacional de US$ 10 bilhões. Esses valores fazem com que a nova companhia ultrapasse Netflix, ficando apenas da Walt Disney Company, posicionando-a como a segunda maior empresa de mídia dos EUA.

No entanto, a luta para alcançar suas principais rivais no mercado de streaming será árdua. Juntos, os serviços da Warner (HBO Max) e Discovery (Discovery+) contam com 35 milhões de assinantes globalmente. Para efeito de comparação, a Netflix tem uma base quase 8 vezes maior, com mais de 270 milhões de usuários pagos. Já o Disney+ conta com mais de 100 milhões de assinantes.

Já o Amazon Prime Video seria um alvo mais, digamos, "alcançável" a médio prazo pela dupla Warner/Discovery. Isso porque estima-se que a plataforma tenha cerca de 60 milhões de usuários ativos. Ela é integrada ao serviço de entregas Amazon Prime - onde o usuário paga uma mensalidade e fica isento das taxas de frente nas compras na gigante do e-commerce - e que conta com 200 milhões de adeptos mundo afora.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: