Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    36.009,36
    -1.306,38 (-3,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.103,00
    -62,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Wall Street vê 61% dos trabalhadores nos escritórios em setembro

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Wall Street está mais otimista quanto à missão de convencer os funcionários a retornarem aos escritórios.

Empresas do setor de serviços financeiros esperam que 61% dos funcionários estejam de volta no final de setembro em relação a 50% no levantamento de março, segundo pesquisa da Partnership for New York City. Cerca de 14% dos profissionais do setor financeiro já retornaram, a segunda maior ocupação entre os setores pesquisados, mas ainda bem atrás do segmento imobiliário, com 70%.

Os maiores empregadores de Wall Street começaram a apresentar planos para persuadir o retorno dos funcionários aos escritórios mais de um ano depois que a pandemia levou ao trabalho remoto em massa. O Bank of America encorajou os principais gerentes em Nova York a voltarem ao escritório, enquanto o Goldman Sachs disse aos funcionários para planejarem o retorno na próxima semana.

Para funcionários de escritórios em geral, 62% do total deve retornar ao local de trabalho em setembro, em comparação com 45% na pesquisa realizada em março, disse a Partnership em comunicado na segunda-feira.

“Os resultados são decididamente mais otimistas do que as pesquisas anteriores realizadas no último ano”, segundo a organização, “refletindo o impacto do ritmo de vacinação relativamente rápido”.

Apenas 27 das 180 empresas pesquisadas pela Partnership planejam exigir que os trabalhadores sejam vacinados contra a Covid-19 antes do retorno, embora outras ainda planejem incentivar os funcionários a se vacinarem. Mais de um terço dos empregadores disseram que as taxas de vacinação continuam sendo a principal preocupação dos funcionários para retornar aos escritórios.

Alguns trabalhadores continuam com receio de usar o metrô e outras formas de transporte público. Outros disseram que seus funcionários estão preocupados com o retorno devido ao recente aumento de crimes de ódio contra americanos de origem asiática.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos