Mercado abrirá em 8 h 9 min
  • BOVESPA

    120.705,91
    +995,88 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.829,31
    +80,90 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,62
    -0,20 (-0,31%)
     
  • OURO

    1.822,50
    -1,50 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    49.247,24
    -1.344,90 (-2,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.352,99
    -34,91 (-2,52%)
     
  • S&P500

    4.112,50
    +49,46 (+1,22%)
     
  • DOW JONES

    34.021,45
    +433,79 (+1,29%)
     
  • FTSE

    6.963,33
    -41,30 (-0,59%)
     
  • HANG SENG

    27.981,51
    +262,84 (+0,95%)
     
  • NIKKEI

    28.068,12
    +620,11 (+2,26%)
     
  • NASDAQ

    13.175,75
    +75,50 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4143
    +0,0018 (+0,03%)
     

Wall St fraqueja com queda em ações de tecnologia; Wells Fargo recua

Por Sruthi Shankar

Por Sruthi Shankar

(Reuters) - Os mercados de ações dos Estados Unidos se afastavam de máximas recordes nesta terça-feira, com o setor de tecnologia devolvendo ganhos obtidos com a esperança de um acordo comercial EUA-China e os papéis do Wells Fargo caindo depois de um pontapé misto para balanços trimestrais de grandes bancos.

Às 13:06 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,21%, a 28.968 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 0,138072%, a 3.284 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 0,19%, a 9.256 pontos.

Iniciando a temporada de resultados do quarto trimestre, o JPMorgan, maior banco dos EUA, subia 2,1%, depois de divulgar um lucro acima do esperado, uma vez que a força em seus negócios com trading e operações no mercado de capitais compensou a fraqueza na parte de consumo.

Wells Fargo caía 2,7%, após reportar uma queda de 55% no lucro, com provisões de 1,5 bilhão de dólares para despesas legais. Citigroup subia 1,9%, após superar estimativas de lucro de Wall Street.

O índice de bancos do S&P 500 tinha alta de 0,7%.

As grandes empresas de tecnologia que levaram Wall Street a alcançar recordes recentemente --Amazon.com, Apple, Microsoft, Alphabet e Facebook-- caíam entre 0,3% e 1,5%.

Analistas esperam que os lucros das empresas S&P 500 recuem 0,7% pelo segundo trimestre consecutivo, de acordo com dados da Refinitiv IBES, em grande parte devido a uma queda nos resultados nos setores de energia e industrial, atingidos por uma guerra comercial.

"As expectativas são de lucros estáveis ou para baixo neste trimestre e não acho que haja surpresas", disse Peter Cecchini, estrategista-chefe de mercado da Cantor Fitzgerald, em Nova York.