Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,70 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,75 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,03
    +1,51 (+1,75%)
     
  • OURO

    1.725,00
    -5,50 (-0,32%)
     
  • BTC-USD

    20.041,17
    -318,25 (-1,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,09
    -2,31 (-0,50%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,45 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.628,00
    -12,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1351
    -0,0328 (-0,63%)
     

Wall Street tem 3º pregão seguido de queda por preocupação com aumento de juro pelo Fed

Operadores trabalham na Bolsa de Valores de Nova York

Por Chuck Mikolajczak

(Reuters) - As ações dos Estados Unidos fecharam em queda pela terceira sessão consecutiva nesta terça-feira, com um aumento nas vagas de emprego em aberto alimentando temores de que o Federal Reserve tem agora mais um motivo para manter sua trajetória agressiva de aumentos das taxas de juros para combater a inflação.

O índice de referência S&P 500 caiu mais de 5% desde que o chair do Fed, Jerome Powell, reafirmou na sexta-feira a determinação do banco central de aumentar as taxas de juros mesmo diante de uma economia em desaceleração.

A demanda por mão de obra nos EUA não mostrou sinais de arrefecimento, com as vagas de emprego em aberto nos EUA subindo para 11,239 milhões em julho e os dados do mês anterior sendo revisados para cima. Um relatório separado mostrou que a confiança do consumidor se recuperou fortemente em agosto, após três quedas mensais consecutivas.

"Eles têm que enfraquecer o mercado de trabalho e como eles vão fazer isso --vão elevar as taxas e tornar as coisas tão caras que as pessoas vão recuar, a demanda vai cair e as pessoas vão ser demitidas", disse Ken Polcari, sócio-gerente da Kace Capital Advisors em Boca Raton, Flórida.

"Isso os trava ainda mais."

O presidente do Fed de Nova York, John Williams, disse nesta terça-feira que o banco central provavelmente precisará levar sua taxa básica de juros para cerca de 3,5% e é improvável que corte as taxas de juros no próximo ano.

No entanto, o presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, disse em um texto publicado nesta terça-feira que o Fed poderia "recuar" de sua recente série de aumentos de 75 pontos-base se novos dados mostrarem que a inflação está "claramente" desacelerando. O presidente do Fed de Richmond, Thomas Barkin, disse que a promessa do Fed de reduzir a inflação para sua meta de 2% não resultará necessariamente em uma recessão severa.

Operadores estão precificando chance de 74,5% de um terceiro aumento consecutivo de 75 pontos-base no juro ao fim da reunião do Fed em setembro.

O índice S&P 500 fechou em queda de 1,10%, a 3.986,16 pontos. O Dow Jones caiu 0,96%, a 31.790,87 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq Composite recuou 1,12%, a 11.883,14 pontos.

Microsoft Corp (-0,85%) e Apple Inc (-1,53%) exerceram a maior pressão sobre o S&P 500. Ambas são empresas de crescimento de megacapitalização e relacionadas ao setor de tecnologia, sensível à perspectiva para a taxa de juros.