Mercado fechará em 1 h 39 min
  • BOVESPA

    111.672,42
    -2.755,76 (-2,41%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.426,47
    -259,56 (-0,49%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,69
    +1,25 (+1,52%)
     
  • OURO

    1.769,80
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    63.369,48
    +1.375,92 (+2,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.469,89
    +6,53 (+0,45%)
     
  • S&P500

    4.517,05
    +30,59 (+0,68%)
     
  • DOW JONES

    35.432,38
    +173,77 (+0,49%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.386,75
    +96,25 (+0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4763
    +0,0848 (+1,33%)
     

Wall Street enfrenta difícil transição em volta a escritórios

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O retorno de Wall Street aos escritórios tem sido acompanhado de confusão, ansiedade e até cachorros.

Líderes de bancos enfrentam uma transição complexa para funcionários cansados que, em muitos casos, estão distantes de suas mesas há 18 meses. Para o exigente setor financeiro, é um ato de equilíbrio para restaurar a normalidade e, ao mesmo tempo, voltar à vida corporativa em um momento em que a Covid-19 ainda está em alta.

Funcionários do Citigroup em Londres foram recebidos por cães de terapia ao retornarem este mês. O JPMorgan Chase está oferecendo terapia em grupo virtual para funcionários com dificuldades, incluindo reuniões especiais para quem tem filhos. Em um sinal do potencial para confusão, a unidade do Mizuho Financial nos Estados Unidos convocou a equipe de volta ao escritório e emitiu um memorando um dia depois, esclarecendo as opções de trabalho flexível.

“É permitido o aperto de mãos? Podemos abraçar colegas que não víamos desde 2020?”, perguntou a diretora-presidente do Citigroup, Jane Fraser, em um post no LinkedIn na semana passada. “Embora cada país esteja em um estágio diferente no combate à pandemia, sei que todos temos muitas perguntas quando é nossa vez de voltar ao escritório.”

Bancos de Wall Street estão na vanguarda do esforço para reocupar os arranha-céus dos EUA com trabalhadores, mesmo com a variante delta atrasando muitos planos para um retorno completo após o feriado do Labor Day nos EUA. A frequência nos escritórios tem aumentado gradualmente enquanto o coronavírus ainda circula, pais precisam lidar com a reabertura complicada de escolas e crianças não vacinadas, e empresas enfrentam políticas em constante mudança sobre máscaras e vacinas.

Para executivos do setor financeiro, é importante adotar a abordagem certa. O segmento não está imune aos altos níveis de rotatividade que afetam grande parte dos EUA, enquanto queixas de banqueiros iniciantes levaram gerentes a distribuírem aumentos de salário na tentativa de reter talentos mais jovens.

Enquanto empresas como BlackRock, Facebook e Microsoft adiaram planos de retorno aos escritórios, Goldman Sachs e JPMorgan trouxeram de volta a maioria dos funcionários em meados do ano. Citigroup e Bank of America incentivaram mais empregados a retornarem este mês.

Cerca de 28% dos funcionários de escritórios da área de Nova York haviam retornado aos edifícios até 15 de setembro, de acordo com a empresa de segurança Kastle Systems, que rastreia o nível de ocupação com base nos dados de entrada com crachás. O número supera os 19% na semana anterior e é o maior desde o início dos lockdowns em março de 2020.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos