Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,65 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,27
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.856,30
    +0,10 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    32.661,59
    +368,53 (+1,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    667,90
    +57,91 (+9,49%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,02 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,95 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.636,38
    +4,93 (+0,02%)
     
  • NASDAQ

    13.411,00
    +49,50 (+0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6541
    +0,0021 (+0,03%)
     

Wall Street encerra ano caótico com Dow e S&P em níveis recordes

Chuck Mikolajczak
·2 minuto de leitura

Por Chuck Mikolajczak

NOVA YORK (Reuters) - As bolsas dos EUA encerraram um ano tumultuado com o Dow e o S&P 500 em máximas históricas, e com os três principais índices de ações de Wall Street apurando ganhos anuais expressivos, apesar de uma economia afetada pela pandemia de Covid-19, com o foco das atenções voltando-se para um mundo pós-pandêmico. Em um ano que marcou o fim do 'bull market' mais longo já registrado, à medida que medidas de isolamento causadas pela pandemia atingiram a economia global, as ações se recuperaram, com o S&P 500 subindo mais de 66% em relação à mínima de 23 de março, resultando no mais curto 'bear market' da história. Os ganhos, que enviaram o Dow e o S&P a máximas recordes para fechar o ano e a Nasdaq a um recorde no início desta semana, foram alimentados em parte por grandes estímulos fiscais e monetários para combater as consequências econômicas do coronavírus, bem como o progresso do desenvolvimento de vacinas. No ano, o S&P 500 ganhou 16,3%, o Dow 7,2% e o Nasdaq 43,6%, o que marcou o maior ganho anual para o índice de tecnologia desde 2009.

"Para índices gerais, este é um ano de alta, apesar da loucura do mundo real", disse Mike Zigmont, chefe de pesquisa e negócios da Harvest Volatility Management.

"Parece-me que os investidores decidiram que o mundo mudou para sempre, a pandemia do coronavírus foi o catalisador e agora os investidores decidiram quem são os vencedores e quem são os perdedores e estão avançando."

Ainda assim, os dados de quinta-feira foram um lembrete de que a economia ainda tem uma longa recuperação pela frente, já que os pedidos de auxílio-desemprego semanais, embora tenham caído pela segunda semana consecutiva para 787.000, permaneceram bem acima do pico da recessão de 2007-2009.

O setor de tecnologia e consumo discricionário foram os de melhor desempenho no ano, enquanto o de energia foi mais uma vez o mais fraco dos 11 principais setores do S&P no ano.

Empresas com enorme valor de mercado empresas como Amazon e Apple ajudaram a impulsionar o S&P 500 e o Nasdaq, bem como as altas de companhias que se beneficiaram do isolamento social, como a varejista online ETSY e plataforma digital de pagamentos PayPal.

As ações da Tesla adicionadas ao índice de referência S&P em 21 de dezembro, subiram espantosos 743% no ano.

Na última sessão do ano, o Dow Jones Industrial Average subiu 0,65%, para 30.606,48 pontos, o S&P 500 ganhou 0,64%, para 3.756,07 pontos, e o Nasdaq Composite avançou 0,14%, para 12.888,28 pontos.