Mercado fechado

Wall Street cai após NY endurecer batalha contra coronavírus

Por Medha Singh e Sanjana Shivdas
Área com a famosa campainha da bolsa de valores de Nova York, vazia devido ao coronavírus

Por Medha Singh e Sanjana Shivdas

(Reuters) - Os três principais índices de ações dos Estados Unidos caíam em uma sessão volátil nesta sexta-feira, depois que o Estado de Nova York ordenou que todos os trabalhadores de serviços não essenciais ficassem em casa para conter o surto de coronavírus que ameaça impor a Wall Street a maior queda mensal em três décadas.

Os três principais índices fizeram uma tentativa de ampliar os ganhos da sessão, depois que formuladores de política econômica em todo o mundo abriram as torneias para todos os setores a fim de sustentar os mercados financeiros, que vêm de quatro semanas de fortes vendas que puseram fim ao "bull market" recorde de 11 anos de Wall Street.

Investidores agora contam com mais estímulos nos próximos dias, já que o Senado dos EUA pondera um pacote de 1 trilhão de dólares que incluiria ajuda financeira direta aos norte-americanos.

"Estes são tempos realmente sem precedentes", disse Ryan Giannotto, diretor de pesquisa da GraniteShares em Nova York.

"O verdadeiro problema é quanto tempo durará a quarentena. (Agora) as pessoas não perguntarão como foi o ano de 2008, perguntarão como foi o ano de 2020."

Às 15:28 (horário de Brasília), o índice Dow Jones caía 2,28%, a 19.630 pontos, enquanto o S&P 500 perdia 1,253014%, a 2.379 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuava 1,45%, a 7.047 pontos.

AT&T caía 7,8%, após a operadora de celular alertar que o surto poderia ter um impacto material nos resultados financeiros e cancelar um acordo de recompra de 4 bilhões de dólares em ações.